Geral

Cotidiano-Notas

Da Redação ·



Polícia do Rio investiga grupo por extorsão contra vans





RIO DE JANEIRO, RJ, 29 de outubro (Folhapress) - Agentes de duas delegacias do Rio investigam a ação de milicianos contra motoristas de uma cooperativa da zona oeste do Rio. Desde quinta-feira, 120 veículos da Cooperativa de Transporte Coletivo de Passageiros Cooper Rio da Prata não circulam por bairros da região. Segundo diretores da cooperativa, 12 pessoas armadas e encapuzadas tentaram tomar os pontos. Em depoimento na na 34ª DP (Bangu), eles informaram que os suspeitos teriam atuado na milícia comandada pelo Jerônimo Guimarães, o Jerominho. O ex-vereador e o irmão Natalino Guimarães (então deputado) estão presos sob acusação de chefiarem a maior milícia do Rio. Nos depoimentos, os diretores da cooperativa informaram que os criminosos proibiram a circulação de três linhas (Padre Miguel x Marechal, Padre Miguel x Sepetiba e Cosmos x Cascadura). O caso está sendo investigado pela 35ª DP (Campo Grande) e pela 36 ª DP (Santa Cruz) como extorsão.



PF prende 2 tailandesas com cocaína escondida em bombons



SÃO PAULO, SP, 29 de outubro (Folhapress) - Duas tailandesas foram presas ontem tentando embarcar para Barcelona com quase 3 quilos de cocaína escondidas em bombons no aeroporto de Guarulhos (Grande S.Paulo). Em depoimento à Polícia Federal, as jovens, de 23 e 26 anos, afirmaram ter vindo ao Brasil para buscar drogas, mas disseram que não se conhecem. A droga estava distribuída em 96 cápsulas embaladas e escondidas dentro de bombons. No sábado, um nigeriano de 42 anos foi preso com quase 5 quilos de cocaína escondidos em três rolos de fitas decorativas e pedraria. O homem, que apresentou um passaporte angolano falso, foi detido com ajuda de cães farejadores dentro do avião que iria para Joanesburgo, na África do Sul.



PF abre inquérito para apurar irregularidades em hospital federal no Rio



RIO DE JANEIRO, RJ, 29 de outubro (Folhapress) - A Polícia Federal abriu inquérito hoje para apurar uma possível fraude em licitação, mau uso de verba pública e crimes praticados por funcionários públicos nas obras do setor de emergência do Hospital Geral de Bonsucesso, na zona norte do Rio. Policiais da Delegacia de Repressão a Crimes Financeiros e Desvio de Recursos Públicos já vinham apurando irregularidades nas obras do setor de emergência que funcionaria há mais de um ano em caráter provisório em contêineres adaptados. Funcionários da unidade, entre eles, o diretor do hospital será chamado a prestar esclarecimentos.
 

continua após publicidade