Geral

Dissidente cubano Eloy Gutiérrez-Menoyo morre aos 77 anos em Havana

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 26 de outubro (Folhapress) - Morreu aos 77 anos hoje o dissidente cubano Eloy Gutiérrez-Menoyo, ex-comandante da Revolução Cubana de 1959 e que posteriormente passou a fazer oposição ao regime do ditador Raúl Castro.

Segundo familiares, o opositor morreu após um infarto em sua casa, na capital Havana. Quase cego e com dificuldades de locomoção, ele enfrentava uma série de problemas de saúde, incluindo sequelas de um aneurisma cerebral.

Nascido na Espanha em 1934, Gutiérrez-Menoyo morava em Cuba desde 2003, após visitar a família e decidir ficar no país caribenho. As autoridades cubanas o deixaram ficar, mas sua situação migratória nunca foi resolvida.

Fundador do grupo centrista Mudança Cubana, o dissidente participava de encontros com exilados políticos moderados até 2010, quando começou a piorar sua saúde. O tom moderado usado foi o que garantiu sua permanência fora da prisão.

Quando Raúl Castro assumiu o governo no lugar do irmão Fidel, González-Menoyo se mostrou decepcionado com as poucas mudanças do regime comunista.

O dissidente se mudou para Cuba em 1945. Ele participou da Revolução Cubana, em 1959, motivado pela morte de seu irmão, Carlos, em um combate com as tropas do governo de Fulgencio Batista.

Ele rompeu com o regime em 1961, após reclamar por posições mais elevadas o governo e em seguida exilado pela primeira vez. Em 1964, ele foi preso e cumpriu 22 anos de pena quando foi liberado a pedido do governo espanhol.
 

continua após publicidade