Geral

Estratégia contra o crime não está errada, diz secretário

Da Redação ·





Por Julia Boarini

SÃO PAULO, SP, 26 de outubro (Folhapress) - O secretário de segurança Antônio Ferreira Pinto afirmou hoje que a estratégia usada no combate ao crime no Estado de São Paulo não está dando errada. A afirmação ocorre após dados divulgados ontem apontarem um crescimento 12% no número de homicídios no Estado e 30% na capital.

"A Polícia Militar está agindo muito profissionalmente. A maior parte dos autores dos homicídios covardes foram presos vivos. Foram computados apenas dez casos de pessoas que reagiram e acabaram morrendo. A maior interessada em saber as causas do crime é a própria polícia", disse o secretário.

Segundo Ferreira Pinto, o aumento da violência será investigado, mas não está vinculado às recentes mortes de policiais. "É muito cedo para falar em vínculo entre os suspeitos pelas mortes. Diversos crimes foram motivados por desavenças pessoais relacionadas ao tráfico", afirmou ele.

O secretário também evitou relacionar os crimes à facção criminosa PCC. "O crime fora das prisões é bem organizado, mas a facção criminosa que está há 20 anos atrás das grades não tem monopólio do crime", afirmou.

Na madrugada de hoje, mais um PM foi assassinado, elevando para 88 o número de policiais mortos no Estado no ano. Também foram mortas a tiros seis pessoas na capital e na região metropolitana. Na noite anterior, 13 pessoas já tinham sido baleadas, sendo que oito delas morreram.

Os dados da secretaria mostram que a capital registrou 135 casos de homicídios com 144 vítimas no mês passado. O aumento é de 96% em comparação ao mesmo período de 2011, que teve 69 casos com 71 vítimas.

O crime de latrocínio (roubo seguido de morte) é outro que também disparou. Segundo os dados oficiais, de janeiro a setembro foram 263 ocorrências. É o maior número de casos desde 2004, quando foram registrados 291 latrocínios.
 

continua após publicidade