Geral

Cresce o número de pessoas desaparecidas no Estado

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 22 de outubro (Folhapress) - Cresceu o número de pessoas desaparecidas nos nove primeiros meses do ano no Estado do Rio. De janeiro a setembro, ocorreram 4.432 desaparecimentos, 236 a mais em relação ao mesmo período do ano passado - crescimento de 5,6%, segundo dados divulgados hoje pelo ISP (Instituto de Segurança Pública). As informações são da Agência Brasil.

Em setembro, o ISP computou 515 casos de pessoas desaparecidas, cerca de 25% a mais do que os 414 do mesmo mês de 2011. Os números do instituto mostram ainda que esse tipo de ocorrência vem crescendo nos últimos anos: em 2006, foram 4.562 casos, saltando para 5.488 (20%), em 2011.

Uma das razões para o crescimento pode estar em uma mudança de comportamento de grupos criminosos que atuam no Estado, que, em vez de abandonar o corpo de suas vítimas, passaram a escondê-los.

Segundo pesquisa divulgada no início deste mês, pelo Laboratório de Análise da Violência da Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro), a estratégia de sumir com o corpo estaria sendo usada pelas milícias (grupos paramilitares formados, em grande parte, por policiais e ex-policiais que controlam comunidades para explorar diversos serviços).

O estudo mostrou que, nas áreas de milícia, há um aumento nos desaparecimentos, ao mesmo tempo em que diminuem os registros oficiais de mortes violentas. Mas para um dos coordenadores do estudo, o pesquisador Ignacio Campo, isso é difícil de comprovar.

"É difícil saber o que está por trás desse crescimento [dos registros de desaparecimento], sem uma pesquisa mais específica. Os desaparecimentos incluem alguns casos de homicídios, mas incluem também muitos casos que não têm nada a ver com homicídios. Sem dúvida nenhuma, é um caso para fica alerta", declarou.
 

continua após publicidade