Geral

Soldado da Jordânia morre em conflito armado na fronteira

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 22 de outubro (Folhapress) - Um soldado jordaniano morreu na fronteira de seu país com a Síria, em confronto com cerca de 12 militantes armados, que tentavam atravessar a fronteira para se juntar às tropas rebeldes anti-Assad, de acordo com o governo da Jordânia. O soldado era Mohammed Abdala al-Munassier, de 25 anos. Foi a primeira morte no país envolvendo o conflito armado sírio, que já dura 19 meses. Apesar da baixa do Exército jordaniano, alguns membros do grupo de militantes foram detidos. O ministro da Informação da Jordânia, Samih Maayta, disse que o soldado morreu no início desta segunda-feira. Ele não revelou se os militantes armados eram de origem jordaniana ou se eram estrangeiros tentando chegar à Síria. Um grande número de islâmicos se juntou à causa dos rebeldes sírios nos últimos meses. Na Jordânia, o movimento islâmico radical Salafi, banido no país, é suspeito de ter enviado centenas de homens para tomar parte no confronto entre as tropas de Assad e os rebeldes da Síria. A polícia das fronteiras jordaniana chegou a interceptar alguns deles, em oportunidades anteriores. Conflito sírio Na Síria, um longo conflito se desenrola desde 2011, com insurgentes querendo remover o ditador Bashar Assad do poder. A crise já causou por volta de 25 mil mortes, enquanto cerca de 2,5 milhões de pessoas precisaram de ajuda humanitária e mais de 250 mil se refugiaram em países vizinhos, segundo as Nações Unidas. O conflito já causou problemas em outros países vizinhos, como a Turquia.  

continua após publicidade