Geral

Anac investiga queda de avião que provocou a morte de apucaranense

Da Redação ·

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) investiga o que teria causado a queda de um avião monomotor em Campina Grande do Sul, na região metropolitana de Curitiba, na tarde desta quinta-feira (18). Os dois pilotos, Renato Rodrigues de Freitas e Juliano Volski, morreram na hora. O enterro de Voslki será realizado nesta sexta-feira (19). Já o do apucaranense deverá ocorrer em local e horário ainda não definidos pela família. A aeronave decolou do aeroporto do Bacacheri. Ela é do modelo Christen Eagle II, o mesmo que caiu em outubro no ano passado, durante uma apresentação de acrobacias no Festival Aéreo do Aeroclube do Paraná. Segundo o 2º Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA II), era um voo de treinamento com duração de meia hora. O avião pertencia ao Aeroclube do Paraná que tem hangar no Aeroporto do Bacacheri. O instrutor Juliano Heckler praticava acrobacias há 15 anos em vários festivais, inclusive na Esquadrilha da Fumaça. Neto de aviador,  'Juliano Cabelo', como era conhecido, ficou preso nas ferragens e morreu na hora. "O avião estava voando e fazendo uma manobra. Daí deu um estouro e aí ele desceu em parafuso. Ele bateu no chão, deu aquele estouro, levantou aquele poeirão", explica o morador Osmar Moscardim, um dos primeiros a chegar ao local. O corpo de Juliano está sendo velado desde a madrugada desta sexta-feira (19) no Aeroclube do Paraná.  Traslado - Já a família de Renato Rodrigues de Freitas reside em Apucarana. A mãe dele trabalha há muitos anos no Colégio Platão.

continua após publicidade
confira também

O corpo do piloto está sendo trasladado para Apucarana e, segundo a Autarquia de Serviços Funerários (Aserfa), deve chegar na Capela Mortuária no final da tarde desta sexta-feira. O horário e local do sepultamento ainda não foram definidos pela família. Ainda segundo a Aserfa, Renato era filho de Sueli de Freitas, tesoureira do Colégio Platão há décadas.