Geral

Birmanesa recebe mais alta homenagem do Congresso

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 19 de setembro (Folhapress) - A Nobel da Paz Aung San Suu Kyi recebeu hoje a mais alta homenagem do Congresso americano, a Medalha Congressional de Ouro, por sua luta em prol da democracia em Mianmar (ex-Birmânia). O país está sob controle de uma junta militar desde 1962.

"Este é um dos dias mais emocionantes da minha vida", disse Suu Kyi após receber a medalha das mãos do presidente da Câmara dos Representantes, o republicano John Boehner. "Entre todos esses rostos estão alguns que vi quando estava em prisão domiciliar e alguns que vi depois, quando fui libertada."

Hillary Clinton, a secretária de Estado americana, que estava presente à cerimônia de premiação, comparou Suu Kyi ao líder sul-africano Mandela. "Os dois compreenderam que quando terminou sua clausura, isso não significava o fim de sua luta, mas o começo de uma nova fase."

Como Mandela, que passou 27 anos preso por suas atividades no Congresso Nacional Africano e depois se tornou o primeiro chefe de Estado democraticamente eleito da África do Sul, Suu Kyi se recusou a tomar o "caminho fácil" de permanecer como "ícone", mas escolheu a política ativa, explicou Hillary. Suu Kyi passou mais de 15 anos em prisão domiciliar.

Suu Kyi recebeu a medalha em 2008, por meio de uma lei assinada pelo então presidente George W. Bush (2001-2009), mas só agora pode viajar para a cerimônia.

Mais tarde, a birmanesa se encontrou com o presidente Barack Obama, também detentor de um Nobel da Paz. Ela foi recebida no Salão Oval, normalmente reservado para chefes de governo e Estado, mas ficou proibida a entrada de câmeras de televisão e de repórteres de jornais impressos, aparentemente em uma tentativa de evitar críticas da junta militar.

Obama recebeu o Novel em 2009, ainda no início de seu mandato como presidente, portanto sem nenhuma conquista concreta na política externa.
 

continua após publicidade