Geral

Temporal destrói telhados e interrompe energia no interior do Estado

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 19 de setembro (Folhapress) - Cerca de 2.600 casas da cidade gaúcha de Porto Lucena, na fronteira com a Argentina, tiveram seus telhados destruídos devido a um temporal de granizo na noite de segunda-feira. A estimativa é da prefeitura do município, que tem 5.400 habitantes. Desde domingo, o Rio Grande do Sul sofre com as fortes chuvas. Ontem, a tempestade arrancou árvores, provocou dezenas de pontos de alagamento em Porto Alegre e deixou milhares de pessoas sem energia elétrica. Rodovias ficaram bloqueadas e algumas escolas suspenderam as aulas. Em Porto Lucena, de acordo com a prefeitura, o prédio da administração municipal foi muito atingido pelas pedras. Documentos, computadores e móveis acabaram destruídos e o estoque de lonas na cidade se esgotou. O município disse que iria pedir ajuda ao Exército. A Defesa Civil estadual diz que já encaminhou lonas para a cidade. Segundo o órgão, as informações sobre os temporais ainda estão sendo coletadas e não é possível fazer um balanço dos estragos pelo Rio Grande do Sul. O granizo também atingiu outras partes do Estado, como a cidade de Soledade (a 217 km da capital). Na noite de ontem, em Barra do Ribeiro (na região metropolitana de Porto Alegre), dois bombeiros e um índio que trabalhavam em uma ação de resgate foram arrastados pela enxurrada. Os três passaram horas desaparecidos, mas acabaram localizados e passam bem. Só na área de uma das concessionárias de energia do Estado, 80 mil imóveis ainda estavam sem luz até o fim da manhã de hoje. A região mais afetada é a do noroeste gaúcho.  

continua após publicidade