Geral

Após 3 meses, termina a greve dos professores da Uerj

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 14 de setembro (Folhapress) - Os professores da Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) decidiram na tarde de hoje suspender a greve iniciada no dia 11 de junho. As informações são da Agência Brasil.

O início das aulas será decido na próxima segunda-feira pelo Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão da instituição, que determinará o calendário de reposição das aulas.

Para presidente da Asduerj (Associação de Docentes da Uerj), Guilherme Mota, a reposição das aulas tem que ser feita dentro de forma planejada. "Por isso propomos uma semana para que as unidades preparem o retorno às aulas. Além disso, precisamos resolver a questão dos professores contratados, que estão com os seus pontos cortados", disse.

Na assembleia de hoje, o movimento considerou uma vitória da categoria o envio do projeto de lei do governo para implantação do regime de dedicação exclusiva na universidade. O projeto enviado à Alerj (Assembleia Legislativa do Estado) deve ser votado na próxima semana.

Os técnicos administrativos da Uerj, no entanto, decidiram continuar em greve por melhores salários e condições de trabalho. A categoria realiza assembleia na quarta-feira para avaliar os rumos do movimento.

Federais

Nesta semana, professores de nove universidades federais decidiram encerrar a greve -Amazonas (UFAM), Maranhão (UFMA), Uberlândia (UFU), Vale do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), Ouro Preto (UFOP), Paraíba (UFPB), Paraná (UFPR), Integração Latino-Americana (Unila) e Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

Entre os institutos federais de educação, ciência e tecnologia, 37 decidiram encerrar o movimento por completo. Entre eles, o do Rio Grande do Norte, o único em que houve greve geral. Apenas quatro mantêm paralisação parcial.
 

continua após publicidade