Geral

Fogo em fábrica mata ao menos 289

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 12 de setembro (Folhapress) - Pelo menos 289 pessoas morreram hoje no incêndio em uma fábrica de Karachi, uma das maiores cidades do Paquistão.

A estimativa foi entregue por autoridades locais à emissora de televisão Geo. O ministro da Saúde da Província de Sindh, Sagheer Ahmad, confirmou a retirada de 246 corpos. Outras 25 pessoas ficaram feridas.

Ahmad também informou que os bombeiros continuam o combate ao incêndio e disse que o número de óbitos pode ser ainda maior, já que os agentes ainda tiram os restos mortais dos operários.

O funcionário do governo de Karachi Mustafa Jamal disse que entre 400 e 500 pessoas estavam na fábrica no momento do incidente.

Cerca de 40 caminhões foram enviados para combater o incêndio e socorrer as vítimas. O prédio de cinco andares não tinha saídas de emergência e as portas estavam trancadas.

Segundo os bombeiros, a maioria das mortes foi provocada por asfixia enquanto as pessoas ficaram presas no andar térreo da fábrica e tentavam escapar. Outros morreram queimados vivos.

As causas do incêndio ainda são desconhecidas. Os trabalhadores dos andares mais altos tentaram tirar as barras de ferro que cobriam as janelas e alguns conseguiram pular, ficando feridos.

Aumento

O número de mortos foi aumentando ao longo da manhã depois que os bombeiros extinguissem o incêndio e acelerassem a recuperação de corpos extraídos da fábrica.

Responsáveis dos bombeiros afirmaram ao jornal "Express Tribune" que a intensidade das chamas ameaça a integridade do imóvel, onde se suspeita que havia 1.500 trabalhadores quando o incêndio começou, embora a maioria tenha conseguido fugir.

Desde o início, as equipes de resgate tiveram grandes dificuldades para enfrentar o incêndio por sua magnitude, que tornava impossível entrar no edifício, e pelo fato de que só havia uma porta de acesso à fábrica.

Este acidente é o segundo de grande envergadura que ocorre no Paquistão nas últimas 24 horas depois que na terça (11) uma explosão em uma fábrica de sapatos da cidade oriental de Lahore causou a morte de 20 pessoas.
 

continua após publicidade