Geral

Escritor Philip Roth contesta informação da Wikipedia

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 9 de setembro (Folhapress) - O escritor norte-americano Philip Roth enviou uma carta aberta à Wikipedia em que nega uma informação publicada no site de que seu livro "A Mancha Humana" (2000) teria sido baseado na vida de Anatole Broyard, famoso crítico cultural do "New York Times", morto em 1990.

O romance acompanha a vida de Coleman Silk, um professor afro-americano que finge ter origem judaica, com o objetivo de alavancar sua carreira acadêmica. Na Wikipedia, a trama é citada como se o personagem Silk tivesse sido inspirado em Broyard.

Escritor, ensaísta e crítico literário, Anatole Broyard (1920-1990) foi acusado, em seus últimos anos de vida, por entidades de defesa da igualdade racial, de renegar suas origens afro-americanas para ter mais oportunidades de crescimento profissional.

Segundo Roth, porém, o protagonista de seu romance seria baseado em um professor de sociologia da Universidade de Princeton que o autor conheceu há mais de trinta anos.

Na carta, o escritor desmente qualquer relação entre seu personagem e Broyard, afirmando que se trata de "mera fofoca literária e não há verdade alguma nisso".

Os dados da Wikipedia são editados de forma colaborativa por qualquer usuário com acesso ao site.

Segundo o romancista, a carta foi respondida pelos administradores da enciclopédia da seguinte maneira: "Nós compreendemos que o escritor é quem tem maior autoridade para interpretar sua própria obra, mas precisamos de uma segunda opinião".

Em entrevista à "New Yorker", Roth rebateu: "Nunca jantei, fui ao cinema, ou joguei cartas com Broyard. Como poderia basear um romance inteiro em sua vida?".

A versão de que teria feito seu livro inspirado no jornalista continua no verbete da Wikipedia. O verbete, porém, incluiu agora o protesto de Roth. O caso levanta uma nova onda de discussões sobre a política de checagem de informações do site.
 

continua após publicidade