Geral

Morte-SP - (Atualizada)

Da Redação ·

Corregedoria vai apurar morte de professor de jiu-jitsu, diz Alckmin




Por Márcio Falcão

BRASÍLIA, DF, 6 de setembro (Folhapress) - O governador Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou hoje que acionou a Corregedoria da Polícia Civil para apurar a ação de policias do Garra (Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos) que mataram a tiros, no início da madrugada, o professor de jiu-jitsu Alexsandro Nascimento, 41, durante uma suposta resistência à prisão.

O governador disse que tanto a Polícia Civil, quanto a militar, precisam pautar suas ações "absolutamente dentro da lei" e que não permite abusos.

"Falei com o secretário da Segurança Pública e a Corregedoria já está verificando e ela vai prestar todos os esclarecimentos. A tolerância é zero. Nenhum tipo de abuso ou de desvio, seja quem for, Polícia Civil, Militar, tem que ter ação absolutamente dentro da lei", disse.

Alckmin disse que eventuais punições aos policias serão apontadas no desenrolar das investigações da Corregedoria. "Se for o caso serão afastado e até presos. Isso será avaliado pela própria polícia", disse.

O governador defendeu a política de segurança do Estado. "Os indicadores da segurança pública em São Paulo todos estão em queda. Dados publicados em 25 de agosto, qualquer parâmetro que se analise, comparando com deste ano, todos estão em queda. Nos dados de agosto, que serão publicados em 25 de setembro, essa tendência continua", afirmou.

Morte

A morte de Nascimento aconteceu na rua Muniz de Souza, no bairro da Aclimação (zona sul de São Paulo). Segundo seus parentes disseram à polícia, o professor de jiu-jitsu, que era pai de dois filhos, não tinha nenhum problema anterior com a Justiça.

Pela versão dos familiares e amigos de Nascimento, ele foi morto pelos policiais civis quando estava rendido, isso após ter saído à rua para comprar uma pizza. A investigação tentará descobrir se ele foi morto com tiros pela costas, quando estava no chão.

Já os policiais que participaram da ação disseram ao DHPP (departamento de homicídios), também da Polícia Civil, que o professor foi morto ao apontar uma arma para os policiais do Garra. Ainda segundo os investigados, Nascimento teria tentado disparar contra eles, mas a arma que ele estaria portando falhou.
 

continua após publicidade