Geral

Richa entrega na Lapa conjunto habitacional com 92 moradias

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Richa entrega na Lapa conjunto habitacional com 92 moradias
fonte: AEN
Richa entrega na Lapa conjunto habitacional com 92 moradias
continua após publicidade
O governador Beto Richa entregou nesta sexta-feira (29/06), na cidade da Lapa, Região Metropolitana de Curitiba, 92 moradias do conjunto residencial Dib Manne, construídas pela Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar). Esperado desde 2007 pela população, o conjunto foi construído pelo atual governo, que ao assumir, no ano passado, encontrou apenas 1,5% das obras executadas. O empreendimento serviu também como uma bem-sucedida experiência de ressocialização de presos: 19 detentos do regime semi-aberto trabalharam na obra, recebendo em troca remuneração e redução da pena. “Estamos hoje materializando o sonho acalentado há anos por famílias carentes da Lapa que a partir de agora terão mais qualidade de vida. O governo está fazendo uma revolução na área habitacional, promovendo o resgate social por meio da casa própria”, disse o governador. Richa citou outros investimentos realizados no município, nas áreas da infraestrutura urbana, saneamento e educação. No conjunto habitacional foram investidos R$ 3 milhões. As casas são divididas em dois blocos: um com 31 unidades, destinadas a famílias que ganham em média um salário mínimo, e outro com 61 moradias, que atendem famílias com renda mensal entre dois e cinco salários.  De acordo com o presidente da Cohapar, Mounir Chaowiche, as novas unidades fazem parte do programa Morar Bem Paraná Rural, que vai atender, nos próximos quatro anos, 10 mil famílias com casas novas e outras 4 mil com reformas e ampliações. “Com eficiência, dedicação e comprometimento com os prazos estamos cumprindo os compromissos e contribuindo para levar cidadania aos paranaenses”, disse ele.
Além destas 92 moradias, o Governo do Estado repassou verbas para a construção de 15 casas no assentamento Contestado, para funcionários e famílias de assentados que contribuem com a Escola Latino-Americana de Agroecologia. Os investimentos chegam a R$ 464 mil. O prefeito da Lapa, Paulo Furiati, agradeceu os investimentos do governo estadual no município e lembrou que as famílias que serão contempladas tiveram que esperar seis anos para receber as unidades. “O governo deixou de lado essa obra por falta de comprometimento com a população. É muito gratificante ver agora as casas prontas”, disse ele. O terreno das 92 moradias foi doado pela prefeitura. ACESSIBILIDADE – Uma parte das residências foi construída e adaptada para atender portadores de deficiências físicas. O aposentado Sandro de Souza e sua família estão entre os contemplados com essas unidades. Ele é paraplégico e morava em uma casa alugada numa rua sem asfalto. “Era complicado viver lá, sem as mínimas condições de acessibilidade. Agora vai mudar tudo, teremos um espaço nosso adaptado para minhas necessidades”, disse Souza. RESSOCIALIZAÇÃO – A construção do conjunto habitacional na Lapa foi também uma experiência de ressocialização de detentos. Dezenove 19 presos do regime semi- aberto da Lapa trabalharam na obra. “A ressocialização dos presos é uma meta do nosso governo. Trabalhando, eles ganham a oportunidade de aprender um novo ofício e têm redução de pena”, disse o governador. Para cada três dias trabalhado o detento reduz um dia de pena.  Um dos presos que trabalharam na obra – Antonio Carneiro, de 30 anos – construiu, entre outras, a própria moradia. Depois de cumprir a pena ele vai morar com a esposa e filho na casa nova. “O plano agora é cuidar da casa e em breve vir morar com a família na nova casa própria. Foi muito importante trabalhar nessa obra, pois reduzi minha pena e consegui ajudar a família com uma renda”, disse ele.  Carneiro cumpre pena por tráfico de drogas e deverá sair da unidade penal no final do ano. Além de uma casa, o projeto garantiu a ele uma ocupação, já que foi convidado para trabalhar na empresa que construiu as unidades habitacionais. Estiveram presentes no evento vereadores, representantes da Caixa Econômica Federal e o deputado estadual Alexandre Curi.