Geral

Simepar terá estações meteorológicas em todos os municípios

Da Redação ·
Simepar terá estações meteorológicas em todos os municípios
fonte: Arquivo
Simepar terá estações meteorológicas em todos os municípios

O Instituto Tecnológico Simepar, ligado à Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, vai ampliar a Rede Paranaense de Monitoramento Hidrometeorológico (RePMH), com a instalação de estações automáticas em todos os municípios do Paraná. O projeto de ampliação, em parceria a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, vai receber investimentos de R$ 7,25 milhões do Fundo Paraná.


O secretário de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Alípio Leal, explica que a ampliação impacta múltiplos setores econômicos, como o de energia, transportes e agricultura, além de defesa civil, saúde, lazer e turismo. “Com a implementação da rede hidrometereológica, somada a outras medições, o Paraná se destaca no país com o mais moderno e abrangente sistema de monitoramento ambiental”.


A expansão vai possibilitar o registro das variáveis diretamente nas áreas urbanas e rurais que apresentam vulnerabilidade relacionada a enchentes, inundações e deslizamentos de terra. Com a longa série de variáveis que serão coletadas, o Simepar vai gerar informações cruciais para a tomada de decisão tanto pela Defesa Civil quanto pela agroindústria, transportes, energia e outras áreas.


IDENTIDADE – De acordo com o diretor-superintendente do Simepar, Eduardo Alvim Leite, a rede vai permitir a definição da identidade climática de cada um dos municípios. “Isto é de grande relevância nesses novos tempos de mudanças climáticas e incremento dos eventos severos de tempo e clima”, afirma.


Alvim explica que é cada vez mais importante o planejamento urbano frente aos desastres ambientais e a necessidade de elaboração do plano municipal de defesa civil. “Vamos saber com antecedência os níveis críticos das variáveis ambientais que provocam desastres”.


O levantamento de dados anteriores também vai apontar o tipo de risco de cada área. “O Estado terá, então, entre outras coisas, um mapa completo das chuvas e uma base de dados representativa de todos os fenômenos que costumam ocorrer por aqui”, conta Alvim.


BENEFÍCIOS – A rede de monitoramento vai beneficiar as atividades ligadas aos portos de Paranaguá e Antonina, que são muito influenciadas por chuvas e ventos, vai permitir melhor planejamento e logística.


Existem no Paraná cerca de 150 estações meteorológicas, hidrológicas ou pluviométricas, com sensores de descargas atmosféricas e sistema de radar meteorológico, número considerado baixo para a extensão do Estado. O tipo a ser instalado em cada município vai depender de estudos que começam a ser feitos por representantes da Mineropar e do Instituto das Águas do Paraná.


Com a instalação das novas 250 estações telemétricas, serão 400 espalhadas pelo Estado, em 48 meses. O adensamento das estações de monitoramento vai gerar grande volume de dados, que serão transmitidos ao Simepar, praticamente em tempo real.

continua após publicidade