Geral

Inquérito do caso Yoki chega ao Ministério Público

Da Redação ·

O Fórum Criminal da Barra Funda, em São Paulo, protocolou na tarde desta sexta-feira o recebimento do inquérito com as conclusões da polícia sobre o assassinato do executivo da Yoki, Marcos Matsunaga, e já o encaminhou ao Ministério Público paulista. O promotor de Justiça José Carlos Cosenzo, do 5º Tribunal do Juri, ficará responsável pelo caso. Ele tem prazo de cinco dias para oferecer denúncia ou solicitar novas diligências junto à polícia judiciária. A Justiça aguarda o posicionamento do Ministério Público para decidir sobre o pedido de prisão preventiva de Elize Matsunaga, autora confessa do assassinato do marido e do esquartejamento do corpo dele. O pedido de prisão preventiva, que pode deixar Elize sob custódia até o dia do julgamento, foi requerido pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) no momento do encerramento das investigações.

continua após publicidade