Geral

Após 34 anos de funcionamento, Paes fecha o Aterro de Gramacho

Da Redação ·
continua após publicidade

 

Foi em clima de festa que o prefeito Eduardo Paes colocou o cadeado na entrada do aterro sanitário de Gramacho neste domingo (3), o maior da América Latina. No local, funcionará a Usina de Biogás, que vai contribuir para o desenvolvimento sustentável da cidade, através do uso do biogás como substituto do gás natural. Além de fins energéticos, a usina também ajudará a reduzir o metano na atmosfera.
 
Um grupo de catadores também festejou o fechamento do lixão e a expectativa de vida para cerca de 1.700 pessoas que viviam do lixo.
 
 
"Hoje estou aqui para enterrar a roupa que usei para trabalhar aqui no lixão durante tantos anos. Tenho certeza que dias melhores virão. Foram muitos anos de sofrimento e exploração aqui", disse Roberta Alves, de 35 anos, 15 deles em Gramacho.  
O prefeito Eduardo Paes disse que o ato simbólico de jogar o último caminhão de lixo em Gramacho e fechar o cadeado é para iniciar a Semana do Ambiente. "A partir de agora o Rio não vai mais admitir as violências contra o meio ambiente como foi esse crime ambiental por mais de 30 anos aqui em Gramacho", afirmou Paes.