Geral

UEM poderá entrar em greve a partir de 6 de junho

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia UEM poderá entrar em greve a partir de 6 de junho
fonte: Divulgação
UEM poderá entrar em greve a partir de 6 de junho
continua após publicidade
Técnicos da Universidade Estadual de Maringá prometeram  entrar de greve se o Governo do Estado não apresentar uma proposta acertiva para o Plano de Carreira, Cargos e Salários (PCCS) até o dia 5 de junho.  O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de Maringá (Sinteemar) Éder Rossato, afirmou a informação e ainda disse que não estão avançando nas negociações. "Eles querem acabar com direitos que já temos garantidos por lei", fala o presidente da entidade. Os sindicatos esperam uma contraproposta do governo até o dia 5 de junho. No dia 6 está prevista uma assembleia para deliberar sobre o que foi decidido. Até a data estabelecida, os sindicatos prometem realizar vários atos e reuniões para expor a situação aos técnicos e mobilizar a categoria.