Geral

Governo sírio nega responsabilidade sobre massacre em Hula

Da Redação ·
continua após publicidade

O governo sírio rejeitou neste domingo (27) qualquer responsabilidade no massacre denunciado por ativistas em Hula, no centro da Síria, onde morreram cerca de cem pessoas na sexta-feira (26), afirmou o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores, Jihad Maqdissi, culpando supostos grupos terroristas.

"Mulheres, crianças e idosos foram mortos a tiros. Essa não é a marca do heróico Exército sírio", disse Makdissi em entrevista coletiva em Damasco.

Fontes da oposição elevaram o número de mortos contados no massacre a 109 civis, caracterizando um dos piores ataques nos 14 meses de revolta popular contra o presidente Bashar al-Assad. Outras fontes falam em cerca de 100 mortos.