Geral

Polícia apreende quase 300 quilos de maconha em Cornélio Procópio

Da Redação ·
continua após publicidade
Policiais Militares de Cornélio Procópio apreenderam na tarde de quinta ferira (24), 289 Kg de maconha em um barracão no Conjunto Habitacional Fortunado Sibim. Três pessoas foram presas durante a operação.
 
Em operação de patrulhamento ostensivo e abordagem a suspeitos no Conjunto Habitacional Fortunato Sibim, policiais militares se depararam com um veículo com placas de São Carlos (SP), tendo como ocupantes, o condutor do automóvel de nome Everton Tadeu dos Santos, de 24 anos, e a passageira Suzane Cristina Alves Pires, de 23 anos. Ao verificarem a identificação do motorista, os PMs constataram que o meliante possuía passagens pela polícia por roubo e desacato.
 
Durante a abordagem os policiais ainda sentiram um forte odor de maconha que emanava de dentro carro e decidiram fazer uma averiguação mais complexa no veículo e nos ocupantes. Várias outras equipes policiais foram acionadas e toda a área do bairro foi cercada e averiguada.
 
Pouco tempo depois a passageira Suzane Cristina, confessou aos policiais que o casal vinha de uma região fronteira do estado e trazia drogas para o município, informando inclusive o local a onde droga foi deixada.
 
Diante do fato, os PMs se dirigiram até um barracão que faz divisa com uma funelaria, no Conjunto Fortunato Sibim, às margens da rodovia PR160, na saída para Leópolis, onde encontraram grande quantidade de maconha armazenada, totalizando 289 Kg.
 
O terreno com o barracão e a funelaria pertence a João Batista Mussi, 53 anos. Segundo o proprietário do imóvel, ele desconhecia a existência da droga.  João Batista foi conduzido para a delegacia de Polícia Civil de Cornélio Procópio.
 
Todos os envolvidos foram detidos na 11º SDP de Cornélio Procópio. A polícia procura saber mais detalhes sobre o condutor do veículo, como também a passageira e investiga de onde veio a droga e para quem seria distribuída.
 
Segundo o Capitão Talhete da Polícia Militar, a versão do proprietário é contraditória e ele a considera como descabível e como os demais ele será indiciado pelo crime de tráfico de drogas, caso não consiga provar o contrário.