Geral

Gaeco denuncia Eloir Valença por organização criminosa

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Gaeco denuncia Eloir Valença por organização criminosa
fonte: Divulgação
Gaeco denuncia Eloir Valença por organização criminosa
continua após publicidade
O vereador Eloir Valença (PHS) foi denunciado pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) nesta segunda-feira (14) por crime contra a administração pública.Também foram indiciados pelo grupo, o ex-secretário municipal de Gestão Pública de Londrina, Marco Antonio Cito; o presidente da Sercomtel, Roberto Coutinho Mendes; o diretor de Participações da Sercomtel, Alysson Tobias Lemos de Carvalho; o chefe de gabinete do prefeito Barbosa Neto, Antonio Rogério Lopes Ortega; e o representante da Cooperativa Regional de Coleta Seletiva e Reciclagem da Região Metropolitana de Londrina (Cooprelon), Ludovico José Bonatto.  Todos eles foram denunciados por corrupção ativa. Segundo investigações do Gaeco, eles estabeleceram uma organização criminosa, composta por filiados ao diretório municipal do Partido Democrático Trabalhista (PDT) que objetivava a cooptação de membros integrantes do Poder Legislativo Municipal que faziam oposição à administração do prefeito Barbosa Neto, de modo a agregá-los à base aliada para conseguir a aprovação de projetos de lei de interesse do grupo na Câmara Municipal de Londrina.  Conforme a denúncia do Gaeco, o grupo de filiados do PDT reuniu-se com o vereador Eloir Valença entre os meses de janeiro e abril de 2012, em local incerto. Ao vereador, eles passaram a prometer, por reiteradas vezes e em oportunidades distintas, vantagem econômica indevida, consistente em quantias em dinheiro, inclusive como auxílio para futuras campanhas eleitorais.  Valença acabou aderindo os propósitos criminosos do grupo de modo a adotar, sempre que necessário, postura compatível com os interesses perseguidos pelos demais denunciados.  O Ministério público entendeu que, ao aceitar a proposta, o vereador associou-se, com caráter de estabilidade e permanência e sob a forma de organização criminosa, para o fim de cometerem crimes diversos, sobretudo contra a Administração Pública especialmente com vistas a impedir a instauração de Comissão Processante em desfavor do prefeito Homero Barbosa Neto.  Por ter aceitado referida proposta, Eloir Valença mudou sua posição política, demonstrando publicamente que votaria contra a instauração da Comissão Processante contra o prefeito municipal, chegando a se ausentar de sessão da Câmara Municipal que ocorreu no dia 19 de abril, na qual tal matéria seria votada, com o propósito de evitar que fossem reunidos votos suficientes para a instauração da dita CP, deixando, assim, de praticar ato de ofício em virtude da promessa de vantagem que aceitara.