Geral

Juiz determina afastamento de Eloir Valeça do cargo

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Juiz determina afastamento de Eloir Valeça do cargo
fonte: Divulgação
Juiz determina afastamento de Eloir Valeça do cargo
continua após publicidade
O vereador Eloir Valença (PHS), foi afastado do cargo por determinação do juiz da 3ª Vara Criminal de Londrina, Luiz Eduardo Asperti Nardi. Depois de receber alta hospitalar, Eloir foi levado na manhã desta sexta-feira (4), para Penitenciária Estadual de Londrina (PEL II). No mesmo dia, o juis concedeu o alvará de soltura de Valença, que deixou a PEL II no início da noite. O delegado Alan Flore, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), protocolou pedido de conversão da prisão provisória para preventiva. No entanto, o juiz indeferiu o pedido e despachou, como medida cautelar, a suspensão do exercício da função de vereador. No entanto, a prisão preventiva do chefe de Gabinete do prefeito Barbosa Neto (PDT), Rogério Ortega, o Rogerinho, e o diretor de Participações da Sercomtel, Alysson de Carvalho, o Pinguin, foi decretada pela Justiça. Eloir Valença foi preso na última terça-feira (1º), durante as investigações do Gaeco na denúncia de suborno ao vereador Amauri Cardoso (PSDB) para que votasse contrário à abertura da Comissão Processante (CP) do Caso Centronic. Além de Valença, foram presos ainda Ortega e Carvalho. O ex-secretário municipal de Governo, Marco Cito, e o empresário Ludovico Bonato, estavam presos desde que foi desencadeada as investigações no dia 24 de abril. Após ser decretada a prisão de Valença, ele passou mal e foi internado no Hospital do Coração, conseguindo inclusive o benefício da prisão domiciliar. Na manhã desta sexta-feira ele recebeu alta hospitalar, sendo encaminhado diretamente à PEL II. Nesta quinta-feira (3), o Gaeco concluiu o inquérito e iniciou todos por formação de quadrilha. Eloir Valença foi indiciado, ainda, por corrupção passiva, por ter aceito benefícios para apoiar a administração municipal em votações na Câmara Municipal. Os demais indicados vão responder também por corrupção ativa. Na próxima sexta-feira (11), a Executiva do PHS no Paraná fará uma reunião para definir o futuro político de Eloir Valença no partido. A expectativa é que as sanções administrativas, previstas no estatuto partidário sejam aplicadas, podendo render até mesmo a expulsão da sigla.