Geral

Governo do PR quer mais apoio federal nos parques nacionais

Da Redação ·
 Estado quer mais apoio do governo federal para parques nacionais. Na foto, Barra do Ararapira - Superagui
fonte: SEMA
Estado quer mais apoio do governo federal para parques nacionais. Na foto, Barra do Ararapira - Superagui
continua após publicidade
O Governo do Paraná quer aproveitar as tratativas para a transferência patrimonial à União de 1.008 hectares do Parque Nacional do Iguaçu para discutir a melhoria da manutenção e conservação de outras oito áreas constituídas como parques nacionais ou áreas de proteção ambiental no Estado. 
A descoberta de que o Estado nunca repassou para a União uma parte da área do Parque Nacional do Iguaçu, justamente a que compreende o conjunto de saltos das Cataratas do Iguaçu, levou o Paraná a renovar o seu registro documental junto ao 2º. Cartório de Registro de Imóveis de Foz do Iguaçu. 
"Queremos tratar esse assunto com muita serenidade, para regularizar a parte documental e transferir o domínio do terreno para a União", afirma o secretário do Meio Ambiente, Jonel Iurk. As tratativas com o governo federal estão sendo conduzidas através do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), responsável pela gestão do Parque Nacional do Iguaçu. 
Para o assessor de Assuntos Fundiários do Governo do Estado, Hamilton Serighelli, o parque é um patrimônio da humanidade, que precisa da "atenção permanente dos paranaenses e dos brasileiros" para a sua preservação, independente do registro patrimonial. "O Parque Nacional do Iguaçu é a nossa atração natural de maior visitação e pode, inclusive, ajudar a preservar outras áreas no Paraná", acrescenta. "A regularização patrimonial é mais um passo de um diálogo que já está estabelecido com o governo federal." 
Além desse parque, o governo federal tem outras oito áreas de preservação no Paraná: são os parques nacionais dos Campos Gerais, Saint Hilaire, Superagui e Ilha Grande (com processo de suspensão judicial), as florestas nacionais de Irati, Açungui e Piraí do Sul e a Área de Proteção Ambiental de Guaraqueçaba. 
"Todas essas áreas precisam de cuidados permanentes", reconhece o secretário Iurk. "E isso pode ser mais eficiente na medida em que houver a destinação de mais recursos federais, atendendo a necessidade de cada caso." 
No início do ano passado, o Paraná propôs ao ICMBio a promoção da Floresta Nacional de Irati para a categoria de unidade de conservação de proteção integral, o que poderá garantir maior atenção para a área. A floresta tem 3.495 hectares e é a maior concentração de mata nativa protegida de floresta com araucárias, em terras públicas, no Brasil. A mesma sugestão foi dada em relação à Floresta Nacional do Açungui. 
Com quase 1,4 milhão de visitantes por ano, o Parque Nacional do Iguaçu arrecada cerca de R$ 15 milhões por ano com ingressos. Parte desses recursos acaba sendo usada para a manutenção de parques no Paraná e em outros Estados.