Geral

Paraná cria 15 mil novos empregos, diz Ministério do Trabalho

Da Redação ·
 Depois de Curitiba, a cidade que mais gerou emprego foi Maringá
fonte: AENotícias
Depois de Curitiba, a cidade que mais gerou emprego foi Maringá

A massa economicamente ativa do Paraná aumentou 0,59% em março quando comparada a fevereiro de 2012. Isso significa que foram criados 14.851 novos empregos com carteira assinada no estado. Em março de 2011, foram criados 13.972 empregos. Os dados são do Ministério do Trabalho e integram o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta segunda-feira (16).

continua após publicidade

Quando se analisa o desempenho da economia paranaense no primeiro trimestre do ano, verifica-se variação 1,82% em relação ao mesmo período do ano passado. Ao todo foram criados 45. 472 novas oportunidades. Conforme levantamento do Caged, este foi o melhor desempenho entre os estados da região Sul.

continua após publicidade

Na Região Metropolitana de Curitiba está concentrado o maior número de empregos, 4.437. Apenas na capital, o saldo foi de 3.408. Em segundo lugar, entre as cidades com mais de 30 mil habitantes, Maringá, no norte do estado, foi a que mais gerou empregos com 1.410 profissionais contratados com carteira assinada. E em terceiro lugar, tem-se São José dos Pinhais com 768 empregos.

continua após publicidade

Na outra extremidade da lista, o município de Araucária foi o que mais demitiu. De fevereiro para março de 2012, 699 trabalhadores perderam o emprego e não conseguiram recolocação no mercado de trabalho neste período. Em seguida, aparece Rolândia, no norte, com 132, e Guarapuava com 84 pessoas demitidas. Ao todo 53 municípios integram a lista.

Segundo o Caged, o setor que mais gerou empregos foi o da indústria da transformação que contratou em todo o estado 4.804 profissionais. Logo após, os setores de serviço e comércio ganham destaque com os números mais significativos.

continua após publicidade

Em todo o país foram criados 442.608 empregos com carteira assinada nos três primeiros meses do ano. Isso representa uma queda de 24,1% frente ao mesmo período do ano passado. Somente em março, os números do Ministério do Trabalho mostram que foram criados 111.746 postos formais de trabalho, o que representa uma alta de 20,57% frente ao mesmo período de 2011.

continua após publicidade

Preços ao consumidor fica 0,75% mais caro em Curitiba

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) na capital paranaense teve variação de 0,75% na primeira quadrissemana de abril, segundo o Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes). O índice demonstra o custo de vida para famílias com renda entre um e 40 salários mínimos. Em março, o IPC teve variação de 0,58%.  O setor que mais pressionou o índice foi o de vestuário, com alta de 4,31%.