Geral

Greve faz British Airways cancelar mais de 1.000 voos

Da Redação ·
 companhia aérea adverte que a interrupção nos serviços deve se estender
fonte: Agência Estado
companhia aérea adverte que a interrupção nos serviços deve se estender

A British Airways cancelou mais de 1.000 voos em decorrência da greve de três dias iniciada neste sábado (20). O presidente da companhia, Willie Walsh, por meio de um vídeo no site Youtube, pediu desculpas pela ocorrência da primeira greve em quase 15 anos, dizendo que este é "um dia terrível para a British Airways".
 

continua após publicidade

A greve é apoiada por alguns sindicatos nos Estados Unidos, Alemanha e Espanha, e considera-se que pode prejudicar o Partido Trabalhista britânico na disputa acirrada nas eleições gerais, pouco antes do mês de junho. O primeiro ministro Gordon Brown irritou o sindicato Unite, um importante doador político, que chamou o sindicato de "deplorável" e havia dito na sexta-feira que iria interromper a greve.
 

A empresa está procurando encaminhar passageiros para outros até mesmo para empresas rivais, mas ainda precisava realocar mais da metade dos 1.950 voos agendados no período em que a greve deve ocorrer. Na manhã deste sábado (20), o aeroporto londrino Heathrow estava praticamente deserto. O serviço de trem entre Londres e o continente europeu, Eurostar, deve ficar carregado, com a esperada procura por rotas alternativas.
 

continua após publicidade

A companhia aérea adverte que a interrupção nos serviços deve se estender por mais dias, além dos três de greve, em face dos efeitos dos atrasos dos vôos. Isto pode perdurar até o final da segunda greve planejada para os dias de 27 a 30 de março.
 

Analistas estimam que a British Airways já perdeu mais de 25 milhões de libras (mais de US$ 37 milhões) por causa de cancelamentos e custos de contingenciamento. As duas greves - a atual e a planejada - combinadas podem custar mais de 63 milhões de libras para a empresa, cerca de US$ 95 milhões.
 

A companhia fez uma nova proposta, na sexta-feira, para a inicial que era de congelamento de salários neste ano. Agora, ofereceu um aumento de 3% no próximo ano e no seguinte, e um aumento atrelado à inflação em 2013 e 2014, limitado a 4%. O sindicato Unite diz que não foi adequadamente consultado sobre as alterações.
 

continua após publicidade

"Estamos no limbo", disse Susan Danby, trabalhadora de uma escola na cidade inglesa de Hull. O voo dela, para Las Vegas (EUA), está agendado para 29 de março, para celebrar com amigos seus cinquenta anos de idade. "Esta é nossa viagem dos sonhos. Planejamos por anos e reservamos em agosto passado", disse. "Todos nós queremos mais dinheiro e melhores condições, mas as pessoas não deveriam arruinar as férias dos outros", afirmou Danby.
 

O sindicato norte-americano International Brotherhood of Teamsters, que representa mais de 40 mil trabalhadores da indústria de aviação, diz aos passageiros para buscar alternativas, ao argumentar que deixou opções "abertas". "Tomamos decisões de não remover voos extras ou rotas para ajudar a British Airways", disse um piloto de uma empresa baseada em Chicago, nos EUA, que preferiu não revelar o nome.
 

A companhia disse que iria administrar cerca de 49 mil passageiros no sábado e no domingo, em comparação com a média de 75 mil para um final de semana normal no mês de março.