Geral

Richa anuncia a maior contratação de policiais já feita no Paraná

Da Redação ·
Richa anuncia a maior contratação de policiais já feita no Paraná
fonte: AEN
Richa anuncia a maior contratação de policiais já feita no Paraná

O governador Beto Richa autorizou a contratação imediata de 2 mil policiais militares e 695 policiais civis aprovados em concursos. É a maior contratação de policiais já realizada no Paraná. Richa determinou também que, a partir das novas contratações, sejam ativados dois novos batalhões da PM, em 180 dias: o Batalhão de Fronteira, com sede em Marechal Cândido Rondon, e o 22º Batalhão da Região Metropolitana de Curitiba, com sede em Colombo. O governador anunciou ainda implantação da primeira base descentralizada do Grupamento de Aviação Operacional, com sede em Foz do Iguaçu, e a implantação do comando regional da PM em Cascavel.

continua após publicidade

“Este é um primeiro passo para começarmos a blindar a nossa fronteira, que é a principal entrada de armamento pesado e de drogas no País. As medidas permitirão em breve grandes operações conjuntas com todas as forças de segurança do Estado e federais naquela região, onde já funciona o primeiro Gabinete de Gestão Integrada do País”, afirmou Richa.

continua após publicidade

De acordo com o secretário da Segurança Pública, Reinaldo de Almeida Cesar, o novo Batalhão de Fronteira será uma unidade de elite, com 500 homens especialmente treinados e divididos em duas companhias, em Guaíra e em Santo Antônio do Sudoeste. O secretário disse que as medidas anunciadas por Richa representam o início das ações concretas previstas no programa Paraná Seguro. “O governador mostra a prioridade do governo e adota medidas fundamentais para a reestruturação das unidades responsáveis pela segurança pública, oferecendo condições de trabalho para a repressão da criminalidade e da violência, que são o maior desejo da população hoje”, disse Almeida César.

continua após publicidade

Para o comandante geral da Polícia Militar, coronel Marcos Teodoro Scheremeta, a descentralização das forças policiais voltadas para a região de fronteira é extremamente importante, porque o Estado passa a cuidar melhor de uma área que exige muita atenção. “Ter um batalhão de fronteira, num modelo diferenciado, de operações especiais, com frações no Noroeste e no Sudoeste, junto com o comando regional de Cascavel e o grupamento aéreo fortalecendo Foz do Iguaçu, permite começar uma blindagem da fronteira do Paraná”, afirmou Scheremeta. “Vemos essa ação com muita satisfação, porque mostra a preocupação do governo Beto Richa em cumprir compromissos e principalmente dar à população além uma segurança efetiva”, afirmou.

As contratações autorizadas para a Polícia Civil representam 20% do efetivo atual. “Neste momento, apesar de todas as dificuldades financeiras que herdamos, conseguimos recompor o quadro da Polícia Civil em 20% e isso é uma grande conquista”, disse o governador. Richa lembrou que o Programa Paraná Seguro prevê a contratação, até 2014, de 8 mil policiais militares e 2.200 policiais civis (400 delegados, 600 escrivãos e 1.200 investigadores).

continua após publicidade

POLICIAIS NAS RUAS — A preparação de parte dos policiais aprovados nos concursos começa nos próximos dias, mas no caso da Polícia Civil, a contratação representa a colocação imediata de 700 policiais nas ruas.

continua após publicidade

“Vamos retirar 700 policiais dos serviços administrativos nas delegacias e colocá-los nas ruas, para investigar. Eles serão substituídos pelos novos contratados, que atuarão na área administrativa até que todos possam entrar para o curso de formação da Escola de Polícia, que de imediato deve receber 215 investigadores que estavam no serviço administrativo”, disse o delegado geral da Polícia Civil, Marcus Vinícius Michelotto. O quadro atual da corporação é de 3.563 policiais civis.

continua após publicidade

Entre os policiais civis a serem convocados, 667 serão investigadores, 25 escrivães e sete papiloscopistas. O edital da investigação de conduta dos aprovados está disponível no site da Polícia Civil: www.policiacivil.pr.gov.br. A publicação foi feita na tarde de terça-feira (13) e, na próxima semana, caso não haja recurso, os candidatos aprovados poderão ser chamados para se apresentar na Secretaria de Segurança Pública com a documentação necessária.

Ainda conforme Michelotto, todos os policiais formados e que trabalham no setor administrativo poderão atuar nas ruas, enquanto os estagiários fazem função burocrática. O delegado da Divisão de Infraestrutura, Benedito Gonçalves Neto, ressalta que 1,4 mil candidatos aprovados no concurso do ano passado também serão convocados para fazer o teste de aptidão física e outras fases da seleção. Dessa forma, assim que houver vaga na Escola Superior da Polícia Civil, eles poderão ser chamados a compor o efetivo.

continua após publicidade

A escola da Polícia Civil tem capacidade para 370 alunos, mas de acordo com o delegado-chefe, estão sendo feitas negociações com faculdades no interior do Estado para parcerias que irão acelerar o processo de formação dos policiais. As primeiras conversas estão ocorrendo com Maringá, Londrina e Foz do Iguaçu.

MILITAR – Quanto à Polícia Militar, 275 policiais e 51 bombeiros aprovados no concurso em 2009 já passaram pelas quatro fases de avaliação. Eles poderão ingressar na Academia Policial do Guatupê nos próximos dias. O curso demora cerca de um ano. Os outros 1.725 policiais e 449 bombeiros serão convocados e passarão pelas fases de análise no processo. A previsão é de que o próximo grupo comece o treinamento nos primeiros meses de 2012. A capacidade da academia é de 2,5 mil alunos por ano.

A primeira fase do processo seletivo, após a aprovação dos candidatos nos concursos da PM, avalia a aptidão física, a segunda analisa a sanidade física e mental, e a terceira faz investigação documental e social. Depois disso, podem começa o treinamento. A PM conta hoje com 16.648 policiais.

O anúncio da contratação de policiais foi realizado no Palácio das Araucárias, na presença dos deputados estaduais Ademar Traiano, Elio Rusch, Mauro Moraes, Plauto Miro Guimarães e Valdir Rossoni, além de diversos comandantes da PM, delegados da Polícia Civil e outras autoridades.