Geral

Justiça manda acusados do caso Eliza Samudio a júri popular

Da Redação ·
 Justiça manda acusados do caso Eliza Samudio a júri popular
fonte: Marcelo Theobald / O Globo
Justiça manda acusados do caso Eliza Samudio a júri popular

Os desembargadores do Tribunal de Justiça de Belo Horizonte (MG) decidiram, nesta quarta-feira (10), que os acusados de sequestrar e matar Eliza Samudio, ex-amante do goleiro Bruno Fernandes, irão a júri popular. Por dois votos a um, eles concederam liberdade a um dos réus: Sérgio Rosa Sales, primo do ex-atleta do Flamengo.

continua após publicidade

Na audiência realizada na 4ª Câmara Criminal, os desembargadores Doorgal Andrada, Herbert Carneiro e Delmival de Almeida Campos negaram o pedido do Ministério Público para que Fernanda Gomes de Castro, Dayanne Souza, Elenilson da Silva e Wemerson de Souza respondam também pelo homicídio de Eliza.

Sales, que também é conhecido como Camelo, está preso na penitenciária Dutra Ladeira, em Ribeirão das Neves (MG), e deverá ser solto na quinta-feira (11).

continua após publicidade

Em dezembro de 2010, a juíza Marixa Fabiane Lopes, do Tribunal de Júri de Contagem, havia decidido que os acusados deveriam ir a júri popular. Os advogados, porém, entraram com recurso, que foi julgado pelos desembargadores nesta quarta-feira.

Eles mantiveram todas as senteças de pronuncia feitas pela magistrada na época. Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais, ainda cabe novo recurso à decisão.

Acusações

continua após publicidade

Bruno Fernandes, Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, e Sérgio Rosa Sales, o Camelo, respondem por homicídio triplamente qualificado (meio cruel, impossibilidade de defesa da vítima e cometer um crime com intuito de garantir impunidade por outro), sequestro e cárcere privado e ocultação de cadáver.

Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, foi pronunciado por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver.