Esportes

Wagner Ribeiro paga parte da pensão a ex-mulher e evita prisão temporária

Ricardo Magatti (via Agência Estado) ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

Um dos mais famosos agentes de jogadores de futebol, Wagner Ribeiro chegou a um acordo com sua ex-mulher nesta sexta-feira e evitou ser preso temporariamente. A Justiça havia decretado a prisão do empresário nesta semana devido à ausência de pagamento de R$ 640 mil relativo a pensão alimentícia para os dois filhos, frutos de um antigo relacionamento.

continua após publicidade

O empresário era considerado foragido pela polícia, uma vez que, de acordo com a delegada Ivalda Aleixo, da Divisão de Capturas da Polícia, os policiais não tinham conseguido encontrar Ribeiro em seus endereços declarados, nem na casa de parentes.

Com o acordo, a delegada Ivalda Aleixo recebeu o contramandado de prisão e a polícia interrompeu as buscas pelo empresário, que é representado no casos pelas advogadas Marina Dinamarco e Gabriela Allioti. Em publicação nas redes sociais, Ribeiro agradeceu o trabalho das advogadas e disse que "nestas situações que sabemos quem são os verdadeiros".

continua após publicidade

Wagner Ribeiro pagou mais da metade do valor que devia e fez a promessa de quitar o restante em parcelas. Ele confirmou a informação em contato rápido com o Estadão.

A ex-companheira do empresário, com quem esteve em união estável, o acusou de não pagar a pensão alimentícia dos filhos durante dois anos, de novembro de 2020 a junho de 2022. O mandato expedido pela 2ª Vara Cível da cidade de São João da Boa Vista, interior de São Paulo determinava que Ribeiro fosse preso por 30 dias caso não pagasse a dívida.

Wagner Ribeiro é um influente empresário no meio do futebol e já trabalhou com nomes como Neymar, Kaká, Robinho, Gabigol, Lucas Lima e Lucas Moura. Atualmente, é consultor do atacante Endrick, joia da base do Palmeiras.

Ele apareceu para o mundo empresarial do futebol quando acertou a negociação de França, então atacante do São Paulo, para o Bayer Leverkusen, da Alemanha. O empresário sempre teve muito bom trânsito no mercado europeu, liderando outras importantes transações de atletas do futebol brasileiro para o exterior.