Esportes

Scheidt elogia Brasil após vice em evento-teste da SSL Gold Cup: 'Clima positivo'

Da Redação ·

Robert Scheidt conduziu o Brasil ao vice-campeonato do evento-teste da SSL Gold Cup, competição entre países e inspirada na Copa do Mundo de futebol, que terminou no domingo, no Lago Neuchâtel, na Suíça. O título ficou com o barco da Croácia, que venceu a regata final. O terceiro e quatro lugares ficaram com Hungria e Suíça, respectivamente. O time brasileiro ganhou sete em oito provas disputadas, sendo superado somente na última e decisiva disputa. Nada que abalasse a confiança do capitão e camisa 10 do Brasil.

continua após publicidade

"A equipe superou em muito as minhas expectativas. Acho que a gente conseguiu criar um clima muito positivo dentro do time, que se entrosou bem e evoluiu muito nessas duas semanas que velejamos. Estou muito contente com a equipe e bastante animado para o que a gente tem para o ano que vem, na SSL Gold Cup. Vamos tentar construir um time ainda mais forte na competição. O time Brasil está de parabéns e, particularmente, foi um enorme prazer poder contar com essa tripulação e ajudar a criar esse clima tão positivo", afirmou o bicampeão olímpico.

O time brasileiro conseguiu uma boa largada, saindo na frente. Porém, no primeiro contravento do percurso, o vento rondou um pouco mais pelo lado direito da raia e o barco da equipe caiu para o quarto e último lugar. Em uma prova de recuperação, conseguiram cruzar a linha de chegada em segundo. "Velejamos em um nível muito alto nessas semanas e, pela nossa rápida evolução e entrosamento, acredito que temos condições de brigar pelo pódio na SSL Gold Cup, em 2022", complementou Scheidt.

continua após publicidade

Este foi o segundo evento-teste da SSL Gold Cup, cuja competição entre 56 países está programada para os meses de maio a junho de 2022. A equipe brasileira, apelidada de Brazilian Storm, reuniu 10 velejadores de renome internacional. Além do capitão, estiveram a bordo as bicampeãs olímpicas Martine Grael e Kahena Kunze e nomes consagrados da vela como Henrique Haddad, Gabriel Borges, Henry Boening, Juninho de Jesus, Joca Signorini, Alfredo Rovere e André Fonseca. Cada atleta tem seu número na camisa - Scheidt é o 10 - e os uniformes do Brasil, fornecidos pela organização, lembram a "amarelinha" da seleção pentacampeã do mundo de futebol.

Todos os países competiram em pé de igualdade. Os veleiros one design foram fornecidos pela organização. O barco SSL47 - uma versão do RC44, categoria bastante usada em regatas mundiais - tem regulagens do original que não podem ser alteradas. "A ideia da SSL Gold Cup é interessante, pois são barcos iguais e o que conta é o trabalho da tripulação", atestou Scheidt.