Esportes

Rodrigo Pessoa volta a defender o hipismo do Brasil e vai para sua 7ª Olimpíada

Da Redação ·

A equipe brasileira de salto para os Jogos de Tóquio-2020 foi definida nesta segunda-feira pela Confederação Brasileira de Hipismo (CBH). A comissão técnica escolheu Luiz Francisco Azevedo, Marlon Zanotelli, Rodrigo Pessoa e Yuri Mansur para representar o país no Japão. Após ficar fora da última Olimpíada, em 2016, no Rio de Janeiro, Pessoa participará de sua sétima edição dos Jogos, um recorde que somente o velejador Robert Scheidt e a jogadora de futebol Formiga estão alcançando.

continua após publicidade

O Time Brasil de Salto terá o suíço Philippe Guerdat como técnico e Pedro Paulo Lacerda como chefe de equipe. As competições se iniciam no dia 3 de agosto, data do Salto Qualificativo Individual, que reunirá 75 participantes.

Parisiense de nascença, o filho do renomado cavalheiro Nelson Pessoa tem a chance de ampliar seu rol de títulos. Além da medalha de bronze em saltos por equipe em Atlanta-1996 e Sydney-2000, Pessoa ganhou o ouro em Atenas-2004, dessa vez na categoria saltos individual. Já no Pan-Americano de Guadalajara, em 2011, no México, o brasileiro levou a prata por equipe para casa.

continua após publicidade

Nos Jogos Olímpicos de Pequim, na China, em 2008, seu cavalo, Rufus, testou positivo no exame antidoping para a substância proibida em animais chamada nonivamida. Com isso, o quinto lugar que conseguiu no salto individual foi desconsiderado. Além disso, o cavalheiro recebeu uma suspensão de 135 dias e uma multa.

Pela primeira vez, as equipes contarão com quatro atletas. Ao contrário de edições anteriores, serão três titulares e um reserva, que pode ser escalado após o início da competição. A disputa por equipes também foi alterada, já que os três resultados serão computados, sem descarte. No passado, quatro conjuntos competiam e havia o descarte do pior resultado a cada rodada. Outra mudança é que a final por equipes ficou marcada para depois da disputa individual.