Esportes

Raphael Veiga aponta Palmeiras 'mais maduro' para a disputa do Mundial

Da Redação ·

O Palmeiras está mais maduro para a disputa do Mundial de Clubes. Esta é a afirmação de Raphael Veiga, artilheiro do time na temporada passada com 18 gols, um deles marcado na final da Copa Libertadores diante do Flamengo, no Uruguai.

continua após publicidade

"Vejo este ano como uma nova oportunidade para a gente fazer história. Seria errado da minha parte falar que foi bom no ano passado, mas sei que o que vivemos trouxe uma bagagem muito grande, tanto dentro quanto fora de campo. Desde que saímos do Brasil, mudamos algumas coisas que tinham sido diferentes no ano anterior. Tudo isso tem agregado para chegarmos mais preparados no dia 8", disse o meia, nesta sexta-feira, em entrevista Abu Dabi, referindo-se ao primeiro confronto do clube pela competição, que acontecerá na terça-feira, às 13h30, no Estádio Al Nahyan, contra o vencedor de Al Ahly-EGI x Monterrey-MEX.

No ano passado, ganhamos a Libertadores e foi tudo muito rápido, tivemos de viajar logo. Teve gente arrumando terno no dia da viagem, foi algo muito corrido. Neste ano, foi diferente desde a nossa preparação pré-viagem na questão de planejamento que fizemos, de como seria no avião, a alimentação, o sono, a suplementação, os treinos que aconteceram durante a viagem… Tudo isso é importante", explicou. "Desta vez, eu estou mais confiante por já ter vivido jogos difíceis, jogos de uma importância muito grande. Hoje eu chego muito mais preparado por estar mais maduro neste sentido", completou.

continua após publicidade

Veiga revelou os primeiros treinamentos nos Emirados Árabes. "O treino de ontem (quinta-feira) foi mais de adaptação, hoje o Abel (Ferreira) já começou a passar o que ele acredita. Não sabemos qual será o nosso primeiro adversário, mas as coisas inegociáveis no nosso time ele já tem pontuado bem."

"Temos de competir, ser intensos, ter ajuda mútua com o companheiro, não deixar o companheiro sozinho no campo, seja para atacar ou defender. O Abel fala muito disso, então temos de trazer à memória o que fez a gente chegar até aqui. O competir é a base do nosso time", afirmou o camisa 23.

Raphael Veiga aproveitou para analisar possíveis adversários do Mundial. "Já falaram um pouco das duas equipes. Tivemos a oportunidade de enfrentar uma delas no ano passado e deu para ver que é uma equipe competitiva e difícil de jogar. É importante saber as características da equipe adversária, mas o principal é saber o que temos de fazer."

O jogador também espera o apoio da torcida, assim como foi na final da Libertadores. "Todo mundo viu o que a nossa torcida fez no Uruguai (contra o Flamengo, pela final da Libertadores). Estávamos em menor número em quantidade, mas nós vimos o barulho que fizeram. Nós, jogadores, comentamos uns com os outros. A torcida está de parabéns, então sempre que a torcida puder estar ao nosso lado será muito importante."