Mais lidas

    Esportes

    Esportes

    Procurador-geral da Justiça diz que paralisação do futebol em SP é imprescindível

    Escrito por Da Redação
    Publicado em 09.03.2021, 14:40:00 Editado em 09.03.2021, 14:47:12
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.

    O procurador-geral de Justiça, Mario Sarrubbo, voltou a afirmar que o futebol paulista deve ser paralisado durante o agravamento da pandemia de covid-19 que assola o País, com aumento significativo dos casos no Estado. Ele ressaltou nesta terça-feira que a suspensão dos eventos esportivos "torna-se imprescindível" considerando o recrudescimento do surto global da doença.

    De acordo com o Ministério Público, a recomendação da paralisação dos eventos presenciais seria apenas enquanto São Paulo passa pela fase vermelha, na qual atividades não essenciais são impossibilitadas na cidade. Uma nova avaliação está marcada para o próximo dia 19. Até lá, o Estado não terão mudança de fase.

    "O procurador-geral de Justiça fez sua recomendação ao governador João Doria, conforme o Aviso 5/21 a ser publicado no 'Diário Oficial' nesta quarta-feira, que, 'à luz dos princípios da prevenção e precaução em matéria de saúde pública, tome as devidas providências para suspensão da realização de cultos, missas e demais atividades religiosas de caráter coletivo e de eventos esportivos de qualquer espécie, inclusive partidas de futebol, durante a fase vermelha do Plano São Paulo'", informou a nota oficial da Procuradoria-Geral de Justiça.

    "Na recomendação, Sarrubbo destacou os diplomas legais e os acórdãos do Supremo Tribunal Federal que fundamentam a sua decisão, assim como enfatizou que 'o recrudescimento da situação causada pela covid-19, com o aumento do número diário de pessoas infectadas, de internações e de mortes' levou o governo a incluir todas as regiões do Estado na fase vermelha, a mais restritiva do Plano São Paulo. Portanto, a suspensão das atividades religiosas coletivas e dos eventos esportivos torna-se imprescindível", prosseguiu.

    João Doria e a Federação Paulista de Futebol (FPF) se mostraram contra a paralisação do Campeonato Paulista garantindo que o futebol segue todos os protocolos de segurança e não há a presença de público nos estádios. Não levaram em conta as aglomerações, como ocorreu na decisão da Copa do Brasil por parte de torcedores do Palmeiras nem o surto que o Corinthians foi acometido na semana passada.

    Sarrubbo assinou a solicitação nesta terça-feira. De acordo com o procurador-geral de Justiça, se faz necessário a paralisação do futebol considerando o aumento do número diário de pessoas infectadas, de internações e de mortes no Estado de São Paulo.

    "Na segunda, os médicos que integram o gabinete de crise instituído pela PGJ para orientar os promotores e procuradores de Justiça no enfrentamento à pandemia apontaram a taxa de ocupação dos leitos de UTI e o maior índice de transmissibilidade das novas cepas do coronavírus como fatores críticos neste momento da crise sanitária", finalizou a nota oficial.

    Já foram realizadas três rodadas do Campeonato Paulista e, a princípio, os jogos deste final de semana estão mantidos. Infectologistas também dizem que o risco é grande de contaminação entre jogadores e também seus familiares. A FPF ainda não se pronunciou sobre essa nova "solicitação". No Brasil, o futebol regional parou em Santa Catarina, Paraná e no Acre. E em alguns outros estão suspensos parcialmente, como no Ceará.

    Gostou desta matéria? Compartilhe!

    Mais matérias de Esportes

    Deixe seu comentário sobre: "Procurador-geral da Justiça diz que paralisação do futebol em SP é imprescindível"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.