Esportes

Polêmico, Charles Barkley diz que NBA 'não tem culhão' para punir LeBron James

Da Redação ·

O ex-jogador Charles Barkley, que brilhou nos anos 80 e 90 por Philadelphia 76ers e Phoenix Suns, mostrou-se nada surpreso com a falta de qualquer punição dada a LeBron James após o astro do Los Angeles Lakers ter aparecido em um evento público antes da partida contra o Golden State Warriors, na última quarta-feira, e ferir os protocolos de saúde da NBA.

continua após publicidade

Barkley falou abertamente que a liga "não tem culhão" para punir sua maior estrela. "Eu adoro o Adam Silver, que descanse em paz David Stern, melhor comissário nos esportes. A NBA não tem culhão para suspender LeBron James. Zero. Veja, hoje, quando li aquilo (falta de punição ao astro), eu só... às vezes você lê algo e só começa a rir", disse a lenda, comentarista há mais de 20 anos, em entrevista concedida ao programa Dunk Bait, do Yahoo Sports.

Ainda sobre o ocorrido, Barkley continuou em outro momento. "Não tem nenhuma chance da NBA suspender LeBron James. Se fosse um Zé Ninguém, eles o colocariam dentro dos protocolos de saúde. Não tem a menor chance de LeBron ficar fora por causa dos protocolos. Quando li sobre aquilo, só comecei a rir", finalizou.

continua após publicidade

LeBron James jogou por 36 minutos na rodada de domingo e terminou com 18 pontos, 10 assistências e sete rebotes na derrota por 99 a 90 dos Lakers para o Phoenix Suns, no Arizona, no jogo 1 da série de primeira rodada dos playoffs da Conferência Oeste.

O astro dos Lakers atendeu a um evento promocional da tequila Lobos 1707, a qual tem participação societária, na última terça-feira. Evento que contou com as presenças de convidados ilustres como o ator Michael B. Jordan e o rapper Drake. Segundo informações, os convidados, para entrar no evento, precisavam de um teste negativo recente para covid-19 ou prova que haviam sido vacinados.

No sábado, a ESPN americana noticiou que a liga não puniria LeBron James, alegando que o astro violou os protocolos, porém que o evento não representava uma ameaça de disseminação do vírus. Entretanto, os Lakers foram notificados, ainda que isso não tenha tido efeito prático algum.