Esportes

Pelas redes sociais, Fórmula 1 se despede de Frank Williams: 'Gigante do esporte'

Da Redação ·

O falecimento de Frank Williams aos 79 anos, anunciado pela Williams Race na manhã deste domingo, reverberou pelo mundo do automobilismo. Entidades, equipes e pilotos da Fórmula 1 usaram as redes sociais para se despedir do empresário, que era tratado como uma lenda. O inglês foi responsável pela criação de uma das equipes mais vitoriosas da categoria, a Williams, detentora de nove títulos de construtores e sete de pilotos.

continua após publicidade

A Williams Racing foi a primeira a se manifestar. Sem revelar a causa da morte, a equipe fundado por Frank Williams, escreveu: "É com grande tristeza que em nome da família Williams, a equipe pode confirmar a morte de Sir Frank Williams CBE, fundador e ex-chefe de equipe da Williams Racing, aos 79 anos de idade".

Stefano Domenicalli, presidente e CEO da Fórmula 1, também se pronunciou em seguida: "Ele foi um verdadeiro gigante do nosso esporte que superou os desafios mais difíceis da vida e lutou todos os dias para vencer dentro e fora das pistas. Perdemos um membro muito querido e respeitado da família F-1 e faremos muita falta dele. Suas incríveis conquistas e personalidade ficarão gravadas em nosso esporte para sempre. Meus pensamentos estão com toda a família e amigos Williams neste momento triste", lamentou.

continua após publicidade

Piloto da Williams, Nicholas Latifi, escreveu: "Notícia tão triste Uma grande perda para nosso esporte e nossa equipe. É uma honra representar o seu nome no cenário mundial e continuaremos a nos esforçar para levar a equipe de volta ao topo".

Pelo Twitter, o perfil oficial da Fórmula 1 também lamentou pela morte e enalteceu o legado deixado por Williams. "Sentimos a mais imensa e profunda tristeza com a morte de Sir Frank Williams. A vida dele foi movida pela paixão pelo esporte a motor. O legado dele é imensurável e será para sempre uma parte da F1. Conhecê-lo foi um inspiração e um privilégio. A falta dele será profunda, profundamente sentida".

O brasileiro Felipe Massa, que também pilotou os carros das Williams entre 2014 e 2017, quando se despediu da categoria, usou o Instagram para homenagear o antigo chefe:

continua após publicidade

Outras escuderias também se pronunciaram. A Alfa Romeo escreveu em seu perfil "Hoje lamentamos a perde uma lenda do nosso esporte, um nome que é sinônimo das corridas. Nossos pensamentos estão com a família de Sir Frank e com nossos amigos da Williams". O gesto também foi seguido da Aston Martin, que definiu Frank Williams como um "homem maravilhoso e um competidor brilhante".

"Estamos incrivelmente tristes com a morte de Sir Frank Williams, um homem que desafiou todas as probabilidades ao longo da vida e da carreira para se tornar um dos maiores ícones do nosso esporte. Um homem maravilhoso e um competidor brilhante. O legado dele viverá para sempre. Descanse em paz, Sir Frank".

A Ferrari reconheceu em Frank um rival feroz e valente. "Prestamos homenagem a um grande homem que desempenhou um papel importante na história da Fórmula 1. Sir Frank era apaixonado pelo automobilismo, um rival feroz e valente que liderou a equipe, que ainda leva seu nome, a tanto sucesso".

continua após publicidade

O presidente da FIA (Federação Internacional Automobilismo) lamentou o falecimento do fundador da Williams e desejou força a familiares e amigos e nome de toda a entidade. "Uma notícia muito triste. Sir Frank Williams deixa uma marca permanente na história da F1. Ele foi um pioneiro, uma personalidade excepcional e um homem exemplar. Em nome de toda a comunidade da FIA, nossos pensamentos estão com a família, amigos e com a Williams. Descanse em paz, meu amigo".

As homenagens não ficaram restritas somente à Fórmula 1. O perfil da Moto GP publicou que Williams foi: "Um verdadeiro gigante do esporte a motor e com um legado que vai viver por gerações na F1. Toda a comunidade da MotoGP envia as mais profundas condolências à família, aos amigos e aos entes queridos de Sir Frank".

Empresário, o inglês viveu para o esporte. Em 2019, ele completou a marca de 50 anos exercendo o cargo de chefia na categoria. Na sua trajetória, foi responsável por construir carros que foram conduzidos por alguns dos melhores pilotos da história, como Nelson Piquet, Ayrton Senna e Alain Proust.