Esportes

Pablo faz dois, São Paulo quebra série invicta caseira do Athletico-PR e deixa Z4

Da Redação ·

O São Paulo está momentaneamente fora da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. Em noite de Pablo, na Arena da Baixada, venceu o Athletico-PR por 2 a 1 e ultrapassou o Cuiabá, saltando para o 16° lugar. Foi o primeiro time a conseguir superar os paranaenses em seu estádio em 2021. Caso os mato-grossenses não vençam o Bahia, ainda neste sábado, o time paulista fechará a rodada aliviado e fora da faixa de queda.

continua após publicidade

Com domínio do jogo e forte na marcação, o São Paulo mereceu a vitória num estádio ao qual sempre é recebido com clima hostil e dificilmente se dá bem. Para se ter noção da dificuldade dos paulistas em Curitiba, basta ver os números das visitas ao Athletico-PR pelo Brasileirão. Esta foi somente a quarta vitória em 28 partidas no local.

Artilheiro do São Paulo na temporada, Pablo fez valer a lei do ex em dose dupla e agora se credencia a vaga no time nas quartas de final da Libertadores, terça-feira, diante do Palmeiras, no Morumbi. Já são 12 bolas nas redes no ano do centroavante que, antes contestado, começa a resgatar o prestígio com o torcedor e com a comissão técnica.

continua após publicidade

Preocupado com as seguidas lesões, o técnico Hernán Crespo resolveu dar descanso para algumas peças importantes do elenco em Curitiba. Mesmo recuperado de estiramento muscular e trabalhando forte desde quinta-feira, o zagueiro Arboleda não foi relacionado para o jogo. Seria substituto de Miranda, mas para não "estourar", acabou preservado para encarar o Palmeiras.

Assim como Benítez, Luan e Reinaldo. O trio ficou no banco de reservas para o treinador dosar o desgaste do elenco. Sem Rigoni, suspenso, Luciano e Éder machucados e frustrado com as negociações que não deram certo com um novo atacante, Crespo apostou em Pablo para tirar o São Paulo da zona de rebaixamento. Apenas uma vitória servia.

Contratado do Athletico-PR em 2018, o atacante se destacou na carreira justamente pelo ótimo trabalho apresentado na Arena da Baixada. E, conhecedor da casa do rival, foi logo aparecendo, com chute nas mãos de Bento. Não levou perigo, mas deu mostras que queria se destacar.

continua após publicidade

E assim o fez pouco tempo depois. Logo após gol incrível perdido por Rojas, Pablo passou como quis por Pedro Henrique que, sem recursos, derrubou o atacante. Pênalti. Ele assumiu a cobrança e não decepcionou, anotando seu 11° gol no ano. Na frente do placar cedo, o São Paulo se sentia à vontade em campo. Dominava as ações e não era ameaçado.

Mesmo assim, num raro lance no qual os paranaenses conseguiram superar a defesa são-paulina, a bola sobrou livre para Renato Kayser empatar. A reclamação de impedimento de nada serviu. O VAR confirmou o lance.

Nada que abalasse, contudo. Em boa trama pela esquerda, em alta velocidade, Gabriel Sara tabelou, foi à linha de fundo e cruzou rasteiro. Pablo, bem colocado, só escorou para recolocar o São Paulo em vantagem.

continua após publicidade

Pablo estava disposto a mostrar a Crespo que pode ser o centroavante diante do Palmeiras. O artilheiro são-paulino no ano, agora com 12 gols, ainda teve outras chances para ampliar o placar num segundo tempo mais tenso.

Por pouco não desviou um cruzamento de Sara e em outro lance chegou um pouco atrasado. Ainda ajudou na marcação até os 57 minutos do segundo tempo. Sim, o jogo teve 12 minutos de acréscimos por causa de utilização do VAR, substituições e pela expulsão infantil de Benítez. O argentino ia para o aquecimento e chutou a bola, impedindo Terans de cobrar escanteio.

continua após publicidade

Mesmo jogando mais de 100 minutos, o São Paulo soube suportar a pressão no fim, repetiu o bom e seguro futebol dos mata-matas também no Brasileirão e saiu com precioso triunfo de Curitiba.

FICHA TÉCNICA

ATHLETICO-PR 1 X 2 SÃO PAULO

continua após publicidade

ATHLETICO-PR - Bento; Marcinho, Pedro Henrique, Thiago Heleno, Márcio Azevedo (Jaderson); Richard (Zé Ivaldo), Erick (Léo Cittadini), Terans (Jadson) Nikão; Renato Kayzer (Vinícius Mingotti) e Carlos Eduardo. Técnico: António Oliveira.

SÃO PAULO - Tiago Volpi; Igor Vinícius (Orejuela); Miranda, Léo, Welington (Luan); Rodrigo Nestor (Bruno Alves), Liziero, Igor Gomes (Reinaldo) e Gabriel Sara; João Rojas (Galeano) e Pablo. Técnico: Hernán Crespo.

GOLS - Pablo (pênalti), aos 13 e aos 33; Renato Kayser, aos 27 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS - Galeano, Wellington, Lucas Perri (no banco) e Igor Vinícius (São Paulo) e Thiago Heleno e Richard (Athletico-PR).

CARTÃO VERMELHO - Benítez (no banco).

ÁRBITRO - Jean Pierre Gonçalves Lima (RS).

RENDA E PÚBLICO - Jogo disputado com portões fechados.

LOCAL - Arena da Baixada, em Curitiba.