Esportes

O início promissor de Felipão no comando do Athletico

O novo técnico levou o time do 13º para o 5º lugar no Brasileirão e conquistou classificação na Libertadores

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Felipão treinou a seleção brasileira na copa do mundo de 2002 e de 2014
fonte: Wikimedia Commons
Felipão treinou a seleção brasileira na copa do mundo de 2002 e de 2014

Prestes a completar um mês e meio no comando do Athletico, o técnico Luiz Felipe Scolari tem uma gestão invejável à frente da equipe. Com 11 rodadas concluídas na Série A do Campeonato Brasileiro, o clube ocupa a primeira colocação fora do G-4, com cinco pontos a menos que o líder Palmeiras.

continua após publicidade

Também é admirável a trajetória do Athletico na Copa Libertadores depois que Felipão tomou as rédeas. O Furacão subiu da lanterna do Grupo B da competição continental para o segundo lugar, garantindo uma vaga nas oitavas de final. Agora, o time tem pela frente, novamente, o paraguaio Libertad na Libertadores. Confira o código de bônus bet365 para saber em quais dos próximos jogos o Athletico é favorito.

Ao assumir o comando do Rubro-Negro, no início de maio, Felipão encontrou uma escalação que considerou ideal e se mostrou conservador com relação a mudanças. O gaúcho escolheu Bento, Khelleven, Pedro Henrique, Nico Hernández, Abner, Hugo Moura, Christian, Davis Terans Cuello, Canobbio e Pablo como sua equipe principal, com substituições admitidas apenas em caso de suspensão, lesão ou desgaste.

continua após publicidade

Boas campanhas na Libertadores e no Brasileirão

Após a vitória sobre o Libertad na Arena da Baixada pela fase de grupos da Libertadores, em 18 de maio, o zagueiro Pedro Henrique deu sua impressão sobre o novo técnico em entrevista ao grupo Disney: “Ele é um cara espetacular, não é à toa que ganhou tudo que ganhou. Ele tirou um pouco da pressão nossa de que tem que ganhar, que se montou um elenco tem que ganhar para ontem”.

Desde a chegada de Felipão, o Athletico não perdeu nem uma partida na Baixada. Entre essas partidas, a única na qual o Furacão não venceu foi no empate em 2 a 2 com o Santos, em 4 de junho.

continua após publicidade

Na Libertadores, além de derrotar o Libertad, a equipe goleou o The Strongest, da Bolívia, por 5 a 1 na Baixada sob o comando do técnico gaúcho. O Furacão só não ficou na primeira posição do grupo por ter um gol a menos que o clube paraguaio no saldo de gols. Por coincidência, o Rubro-Negro foi sorteado para enfrentar novamente o Libertad nas oitavas.

Já no Brasileirão, Felipão assumiu com o Athletico na 13ª posição, com seis pontos em cinco jogos. A estreia do treinador no campeonato foi na derrota para o Fluminense por 2 a 1. Após os ajustes do novo comandante, o time venceu os dois jogos seguintes e pulou para dentro do G-6.

Além disso, o novo técnico obteve a classificação para as oitavas de final da Copa do Brasil, com vitória de 4 a 0 contra o Tocantinópolis, na Baixada. A classificação, porém, já estava encaminhada, pois o Furacão havia vencido o jogo de ida por 5 a 2.

continua após publicidade

O comentarista PVC, do Grupo Globo, enxerga semelhanças entre o trabalho de Felipão no Athletico e seu trabalho ao assumir o comando do Palmeiras, em 2018. “São apenas coincidências. Mas o Athletico sobe na tabela, como o Palmeiras subiu em 2018. Daquela vez, Roger Machado foi demitido quando estava em sétimo lugar, Felipão assumiu em sexto e chegou à liderança onze jogos depois, ao vencer o Cruzeiro por 3 x 1, no Pacaembu. Ganhou o campeonato”, afirmou PVC em sua coluna.

O início promissor de Felipão no comando do Athletico se dá em um momento no qual o ex-jogador, aos 73 anos, pensa em se aposentar. Seu último trabalho havia sido em 2021 no Grêmio, clube no qual é uma lenda. No ano passado, porém, Felipão foi apenas um dos cinco nomes que passaram pelo cargo de técnico do Tricolor gaúcho, que caiu para a Série B pela terceira vez na história.

Felipão é o técnico mais longevo da história do futebol brasileiro. Sua estreia foi pelo CSA, em janeiro de 1982. Ele foi campeão brasileiro com o Grêmio, em 1996, e com o Palmeiras, em 2018.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News