Esportes

Na estreia em Pequim-2022, Sabrina Cass é 21ª e continua na luta para ir à final

Da Redação ·

O Brasil fez nesta quinta-feira a sua estreia nos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim-2022, na China. No esqui estilo livre moguls, Sabrina Cass foi a primeira atleta a defender o país na história da prova e em sua primeira descida classificatória, a atleta de 19 anos ficou em 21.º lugar entre as 30 participantes. Ela volta à pista no Parque de Neve de Genting neste domingo para a segunda classificatória, em busca de uma vaga na final.

continua após publicidade

Sabrina postou no início do dia que estava super empolgada para a primeira classificatória. Teve que segurar a ansiedade pois seria apenas a 28.ª atleta a descer o percurso de 250 metros. Enquanto aguardava, viu americanas e japonesas dominarem o início da prova. Pouco antes de sua vez, acompanhou a australiana Jakara Anthony brilhar e assumir a liderança com 83,75 pontos.

Em sua descida, Sabrina teve uma boa performance, com manobras e aterrissagens limpas. Completou o percurso em 32 segundos e ficou momentaneamente em 20.º lugar, com 62,20 pontos. Como a francesa Perrine Laffont, que veio em seguida, recebeu a segunda melhor nota do dia, a brasileira terminou a classificatória em 21.º.

continua após publicidade

"Estou muito feliz. Graças a Deus que pude fazer uma boa descida. Tive um pouco de dificuldade saindo do primeiro salto, mas estou feliz que consegui botar tudo junto. Agradeço a todo mundo que me ajudou a chegar neste ponto. Ainda tem outro dia de classificação. Tomara que eu consiga fazer o meu melhor", afirmou a brasileira em entrevista ao SporTV.

Apenas as 10 melhores da prova avançaram direto para a primeira final da modalidade. Outras 10 vagas serão definidas na segunda classificatória, que vai ocorrer neste domingo, às 7 horas (de Brasília). É nessa prova que a brasileira espera melhorar o seu desempenho, que precisará ser perto de 70 pontos, e alcançar a tão sonhada vaga à final.

Sabrina nasceu nos Estados Unidos, filha de pai americano e mãe brasileira. Foi campeã mundial júnior de moguls pelos Estados Unidos em 2019 e, desde que passou a competir pelo Brasil em 2021, teve como principais resultados um nono lugar no torneio internacional aberto em Idre Fiall, na Suécia, e um 21.º lugar na Copa do Mundo de Deer Valley, em solo americano.