Esportes

Minas Gerais domina vôlei brasileiro e é figura carimbada em finais da Superliga

Da Redação ·

Nos últimos anos do vôlei no Brasil, um fato tem se repetido. Independentemente de ser no masculino ou feminino, os times de Minas Gerais têm marcado presença nas finais de todos os campeonatos da modalidade. Seja o Minas Tênis Clube, nos dois gêneros, Praia Clube, no feminino, ou Cruzeiro, no masculino, as decisões passam pelo Estado e muitas vezes o título não sai de lá.

continua após publicidade

Entre as mulheres, o domínio nos últimos anos é mais evidente. Nas últimas três edições da Superliga, que é o campeonato brasileiro da modalidade, as conquistas ficaram ou com o Praia Clube ou com o Minas. Além disso, os quatro últimos títulos do Sul-Americano de clubes de vôlei feminino também foram divididos entre um e outro.

"Acredito que esse sucesso seja a união de três fatores. Temos tradição no vôlei, por conta do que construímos com o passar dos anos e isso faz com que a torcida abrace o time em todas as temporadas. Temos uma base muito forte, que alimenta o time em diversos momentos e dá continuidade em um nível alto. E temos patrocinadores que entendem que o esporte é um processo e isso leva tempo para acontecer", comentou Ricardo Vieira Santiago, presidente do Minas Tênis Clube.

continua após publicidade

Um dos símbolos do período vitorioso do time mineiro nos últimos anos, a central Carol Gattaz, medalhista de prata nos Jogos Olímpicos de Tóquio com o Brasil, é direta ao comentar sobre o que faz o Minas se manter entre os melhores do País durante tantos anos. "Somos o melhor time do Brasil. Graças ao que foi construído nos últimos anos e aos resultados que tivemos, somos a referência. O conjunto de estrutura para trabalhar, patrocínio forte e uma base que dá continuidade ao time com o passar dos anos faz com que o Minas siga vencendo e entre os melhores."

O MELHOR DA TEMPORADA

Se o Minas Tênis Clube é um dos times mais tradicionais do vôlei feminino brasileiro, o Praia Clube, de Uberlândia, se consolidou nos últimos anos como um dos maiores projetos da modalidade no Brasil. Nesta temporada, a equipe mineira conquistou o Estadual, o Sul-Americano e terminou a fase de classificação da Superliga feminina como primeiro colocado.

continua após publicidade

"A força mineira sempre foi destaque no voleibol nacional. O projeto de voleibol feminino do Clube foi planejado para um crescimento gradativo e sustentável, desde sua origem quando só ingressamos na Superliga por mérito e não por convite, conquistando a vaga através do título de Campeão da Liga Nacional em 2008", comentou André Lelis, gerente de esportes de alto rendimento do Praia Clube.

"O crescimento do projeto se deu seguindo fielmente um planejamento inicial e, com a chegada do patrocinador atual, fomos colocando objetivos claros e com muito trabalho, dedicação das comissões técnicas e atletas que compunham as equipes nas diversas edições. Os resultados foram concretizados e passamos a estar sempre nas principais finais de todos os torneios nacionais e sul-americanos e internacionais, conquistando o primeiro título intercontinental em 2022."

FORÇA NO MASCULINO

continua após publicidade

Se você falar de vôlei masculino nos últimos anos no mundo, terá de citar o Sada Cruzeiro. Apostando em uma ideia de continuidade, que já havia dado certo com outras equipes no País, o time de Minas Gerais alcançou feitos históricos. A partir de 2010, o time celeste passou a se colocar entre os melhores projetos da modalidade no Brasil e no mundo. Em pouco mais de uma década, o Sada Cruzeiro venceu mais de 35 títulos e se tornou a única equipe brasileira a ganhar o Mundial de clubes de vôlei masculino. Na atual temporada, conquistou o Mineiro e o Sul-Americano, fazendo as duas finais contra o Minas Tênis Clube, e foi tetracampeão Mundial.

Na Superliga masculina, o Cruzeiro chegou em oito finais das últimas 11 edições, conquistando o título em seis. Desta forma, a equipe mineira se consolidou como o grande projeto do país na modalidade, mesmo não conseguindo chegar nas decisões nas duas últimas edições.

Se o Cruzeiro esteve fora da última final da Superliga, o Minas Tênis Clube voltou a ser finalista da competição nacional depois de mais de dez anos. Na última temporada, que se encerrou em maio do ano passado, o time de Belo Horizonte ficou com o vice-campeonato. Presente nas duas equipes da cidade, o experiente levantador Willian Arjona, que foi campeão olímpico em 2016, ressaltou o motivo de o Estado dominar o vôlei também no masculino.

"O esporte precisa que os processos sejam respeitados e isso leva tempo. Os dois times sabem respeitar esse prazo e dão condição para que os atletas façam o melhor. O Minas Tênis Clube hoje é onde se tem tudo do melhor. É a melhor estrutura com a qual eu já trabalhei e por isso conquista tudo que consegue em quadra. Existe a tradição, o investimento alto, a estrutura é essencial e a base do clube consegue se ver em quadra. Hoje, mais da metade do nosso time do masculino veio da base e isso só confirma que o clube está no caminho certo", disse o levantador.

Na Superliga masculina deste ano, o Minas Tênis Clube se classificou para os playoffs como primeiro colocado da fase regular. Além disso, a equipe conquistou o título da Copa Brasil de 2022.