Esportes

Leila Pereira diz que não viu jogo do Chelsea, mas considera time inglês favorito

Da Redação ·

Leila Pereira apareceu em seu hotel em Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, para falar com a imprensa nesta quinta-feira em uma conversa que não estava programada e, inicialmente, duraria apenas dez minutos. A presidente do Palmeiras, acostumada a se estender nas respostas, falou mais do que o previsto. E foi sincera. Ela disse não ter assistido à vitória do Chelsea por 1 a 0 sobre o Al Hilal. O time inglês será o adversário do clube alviverde na decisão do Mundial de Clubes, neste sábado, às 13h30 (de Brasília), no Mohammed Bin Zayed Stadium.

continua após publicidade

"Quer que eu te fale uma coisa com toda a sinceridade? Não assisti ao jogo ontem", comentou. "Independentemente de quem fosse, estamos trabalhando para disputar o Mundial, com muita humildade, pé no chão. Então tanto Chelsea como qualquer outro clube, vai ser um jogo extremamente difícil. É uma final de Mundial. Não se pode menosprezar nenhum time", projetou a presidente.

A empresária entende que o favoritismo "pode ser deles", do Chelsea, o clube mais poderoso financeiramente e atual campeão europeu. Mas isso não anula a confiança que ela tem nos jogadores, que podem levantar a primeira taça desde que Leila assumiu o cargo mais proeminente do clube, no fim do ano passado.

continua após publicidade

"Estamos disputando o Mundial com o campeão da Liga dos Campeões. É um jogo extremamente difícil, mas já é um grande feito estarmos aqui nesse patamar disputando o Mundial. Estamos aqui para lutarmos pra voltarmos pro Brasil com esse troféu", avisou.

E como é a rotina de Leila Pereira, como presidente do clube, em Abu Dabi? Ela disse que continua sendo a mesma pessoa de antes de assumir o comando da instituição, mas com mais responsabilidades.

"Estou aqui para dar o suporte com a comissão técnica, almoço com eles, acompanho os treinamentos, mas sei exatamente qual a minha posição, sou presidente e estou aqui para defendê-los e dar todo o apoio para o que necessitam. A presidente é importante em qualquer situação, nas espetaculares e nas situações difíceis", observou ela, desejando viver no sábado uma "situação histórica", com o tão almejado troféu.

"O que o presidente está fazendo é o melhor para o Palmeiras. Estou sempre pensando na instituição. Ninguém é mais importante. Todas as minhas decisões são para melhorar o clube. Não estou aqui para ser corporativista, para prestigiar aquele ou aquele", completou a mandatária.