Esportes

Hamilton destaca luta contra a covid-19: 'Uma das semanas mais duras para mim'

Da Redação ·

Uma semana depois de ser diagnosticado com a covid-19, o inglês Lewis Hamilton reapareceu em suas redes sociais para relatar as dificuldades sofridas nos últimos dias com a doença, que o fez perder o GP de Sakhir, no Bahrein, no último domingo. Abatido, o piloto da Mercedes, que está em isolamento em Manama, capital barenita, afirmou estar se sentindo bem, mas deixou claro a difícil luta que teve contra o vírus.

continua após publicidade

"Olá, pessoal, espero que vocês estejam bem. Sei que estive ausente nesta última semana, mas foi uma das mais difíceis que já tive na vida, apenas focando em me recuperar e ficar em forma para voltar ao carro na corrida final em Abu Dabi", afirmou Hamilton, com o semblante abatido, em um vídeo publicado em seu Instagram.

"Hoje (terça-feira) acordei me sentindo bem, consegui me exercitar, mas quero mandar uma mensagem para vocês de que estou bem e agradecer cada um que me mandou incríveis mensagens e vídeos, eu fiquei muito feliz. Espero que, onde estejam, vocês estejam positivos e enfrentando o que estiverem passando. Espero que possa voltar ao carro em breve e estou enviando amor para vocês", completou o inglês.

continua após publicidade

Para correr a última corrida da temporada de 2020, Hamilton vai precisar testar negativo para a covid-19, mas outras barreiras ainda podem impedir a sua participação na corrida no circuito de Yas Marina. O inglês precisa estar em pelo menos uma atividade de pista antes da corrida e, principalmente, o aval dos governos do Bahrein e de Abu Dabi, capital dos Emirados Árabes Unidos. A quarentena obrigatória do piloto termina nesta quinta-feira.

Essa foi a primeira vez, desde a sua estreia na Fórmula 1 em 2007, que Hamilton se ausentou de uma etapa da categoria. O agora heptacampeão mundial foi substituído no GP de Sakhir pelo compatriota George Russell, titular da Williams durante o ano.

Hamilton é o terceiro piloto a testar positivo para o novo coronavírus na atual temporada. O primeiro foi o mexicano Sergio Pérez, da Racing Point, que perdeu os GPs da Inglaterra e dos 70 Anos da Fórmula 1, ambos no circuito de Silverstone. O segundo caso também se deu na equipe britânica, mas dessa vez com o canadense Lance Stroll, que se ausentou da prova em Nürburgring, na Alemanha, o GP de Eifel, em outubro.

No último sábado, o chefe da Mercedes, Toto Wolff, chegou a dizer que o heptacampeão mundial estava com sintomas leves da doença e não se sentia bem. Porém, após a prova em Sakhir, o austríaco voltou a comentar sobre o estado de saúde de Hamilton e revelou que o piloto já se sentia melhor.