Esportes

Grêmio repudia cântico racista de sua torcida no Grenal, mas não 'cobra' punição

Da Redação ·

Mais um episódio lamentável de racismo marcou uma rodada do futebol brasileiro. No Grenal 435, no Beira-Rio, nesta quarta-feira, a torcida do Grêmio foi filmada entoando um cântico discriminatório chamando os rivais do Internacional de 'macacos'. O TJD-RS avalia as imagens para abrir denúncia contra o clube, que soltou nota de repúdio à atitude, mas em momento algum cobrou punição à própria torcida.

continua após publicidade

Derrotado no campo por 1 a 0 com uma das piores apresentações da história do clássico, na visão de seus dirigentes, o Grêmio ainda pode receber punição por causa de seus torcedores. Em coro no espaço dedicado aos visitantes, cantaram: "Chora macaco imundo, que nunca ganhou de ninguém."

O vídeo foi espalhado pelas redes sociais e se tornou um tiroteio entre as torcidas, em pedidos mútuos de punição. Bastou surgir a notícia de que o Grêmio podia ser penalizado pelo ato racista no TJD, que os torcedores também cobraram atitude contra os colorados pela pedrada em Villassanti há 12 dias, 'ignorada' pelo tribunal.

continua após publicidade

O Grêmio usou suas redes sociais para lamentar o ocorrido e repudiar o ato discriminatório. A nota, contudo, também acabou bastante questionada por não pedir rigidez contra os próprios gremistas.

"O Grêmio é um clube de todos, e temos muito orgulho disso. No nosso sangue e na nossa história estão as marcas dos povos do mundo todo. Manifestamos total repúdio a qualquer manifestação de cunho racista ou preconceituoso", iniciou a nota gremista.

"Temos certeza de que a absoluta maioria da torcida gremista e dos cidadãos gaúchos também repudiam atos dessa natureza. A busca por combater ações discriminatórias é diária dentro do Grêmio, com uma série de ações práticas nesse sentido, e essa postura permanecerá para que episódios de preconceito de qualquer ordem não sejam mais vistos dentro de um estádio de futebol e na sociedade", completou.

Muitos torcedores colorados acusaram a diretoria rival de apenas ter de manifestado para uma defesa no tribunal. Queriam que o Grêmio se comprometesse a identificar os "racistas" e bani-los dos estádios.