Esportes

FPF divulga análises do VAR na final do Paulistão entre Palmeiras e São Paulo

Da Redação ·

A final do Paulistão foi envolta em uma série de crítica à arbitragem, tanto no jogo de ida, no estádio do Morumbi, como na partida de volta, celebrada no Allianz Parque. A Federação Paulista de Futebol (FPF) divulgou, nesta segunda-feira, os áudios entre o juiz principal Raphael Claus e os árbitros de vídeo.

continua após publicidade

O primeiro lance duvidoso surgiu no início do duelo entre Palmeiras e São Paulo, quando jogadores palmeirenses pediram um pênalti após a bola tocar na mão do são-paulino Eder dentro da grande área. Imediatamente após o lance, Claus relata que o braço estava colado ao corpo e, portanto, não marcaria a penalidade.

O árbitro de vídeo Thiago Duarte Peixoto - que no Paulistão de 2017 expulsou incorretamente um jogador do Corinthians no clássico com o Palmeiras - a princípio concorda com Raphael Claus, mas após checar as imagens sugere a revisão. Claus a todo instante mostra-se convicto da não marcação do pênalti. Ao chegar à cabine do VAR, Claus observa o lance novamente e, sem pestanejar, reitera sua interpretação e não marca o pênalti a favor do Palmeiras.

continua após publicidade

Mesmo com as falas decididas do árbitro principal, a cabine segue colocando novas imagens. "Posição natural, Thiago. Vou sair e manter minha decisão. Eu acho que o braço que está embaixo não amplia o espaço. Braço colado. Escanteio", afirma Claus.

Outro lance polêmico acontece no segundo gol do Palmeiras, marcado por Zé Rafael. Danilo pisa no pé de Calleri no início da jogada, que origina o tento alviverde. O lance já é notado rapidamente pelo VAR, que espera a conclusão do lance. Após refutarem a possibilidade de impedimento, a cabine pede novas imagens do choque entre Danilo e Calleri e sugere revisão, até que são advertidos por Claus: "Contato lateral, Thiago". Thiago Duarte Peixoto responde que não é um contato lateral, mas um pisão.

"Para mim acidental, Thiago", inicia Raphael Claus em sua revisão. "Os dois disputam a bola. Ninguém joga a bola, os pés passam no vazio. Eu vou manter o gol", conclui o árbitro. A final do Paulistão terminou com vitória do Palmeiras, por 4 a 0, e os 24º título estadual da equipe alviverde.