Esportes

Fifa perde licitação para desqualificar promotor especial que investiga Infantino

Da Redação ·

A Fifa, entidade que dirige o futebol mundial, falhou em sua tentativa de desqualificar o promotor especial nomeado no ano passado pela justiça suíça para lidar com uma investigação sobre as relações entre o presidente Gianni Infantino e um ex-advogado do órgão.

continua após publicidade

O promotor Stefan Keller abriu, em julho, investigação criminal sobre as reuniões indocumentadas de Infantino e o ex-procurador-geral Michael Lauber, cujo escritório é acusado de participar de vários casos de corrupção. Infantino e Lauber negaram qualquer irregularidade.

O comitê de ética da Fifa inocentou Infantino, em agosto, de qualquer violação do código ética. Em veredicto divulgado nesta terça-feira, o Tribunal Criminal Federal rejeitou os pedidos da Fifa para remover Keller do caso e permitir o acesso da entidade aos arquivos da investigação como um terceiro

continua após publicidade

diretamente envolvido no processo.

A Fifa, que reclamou que a abertura de um processo criminal contra seu presidente danificou sua reputação, argumentou que Keller não estava autorizado a iniciar tais procedimentos. Também apelou

contra sua decisão de negar a oferta da Fifa para ver os arquivos do caso. O tribunal decidiu que a nomeação de Keller foi adequada e ele não havia ultrapassado sua autoridade.

Infantino, eleito em 2016 com a missão de 'limpar' a Fifa depois dos casos de corrupção da gestão de Joseph Blatter, argumentou que era perfeitamente natural para ele encontrar agências especializadas nas aplicações das leis.