Esportes

Em documentário, Bottas revela desejo de desistir da F-1 após ordens da Mercedes

Da Redação ·

O piloto finlandês Valtteri Bottas revelou ter pensando em abandonar a Fórmula 1, depois de receber ordens da Mercedes para que ele cedesse a liderança do GP da Rússia de 2018 para o inglês Lewis Hamilton, que, à época, buscava seu quinto título na categoria máxima do automobilismo mundial. A afirmação foi feita na série documental da Netflix "Drive to survive" ("Dirigir para viver", na versão em português).

continua após publicidade

A prova disputada em Sochi terminou com Hamilton na primeira posição. O finlandês ficou em segundo na corrida que poderia render sua primeira e única vitória no ano. Sebastian Vettel, ainda piloto da Ferrari, completou o pódio. Com os pontos da corrida, o inglês abriu 50 pontos de vantagem para o alemão, restando cinco provas para o fim da temporada.

"Aquilo foi complicado, foi duro aceitar. Eu estava muito irritado. Honestamente, comecei a me perguntar: por que eu faço isso? Eu até pensei em desistir, parar de vez. Depois da corrida, falei que não faria mais aquilo", explicou Bottas.

continua após publicidade

O finlandês começa em 2021 a sua quinta temporada pela escuderia alemã. Em 2017, Bottas terminou o mundial de pilotos na terceira posição. No ano seguinte, veio seu pior desempenho com a flecha de prata, quinto lugar e nenhuma vitória. Em 2019 e 2020, conquistou o segundo lugar. O grande desafio em sua nona temporada na Fórmula 1 será novamente superar o companheiro de equipe Lewis Hamilton.

O dono da carro número 77, no entanto, está muito ameaçado e não deve seguir na Mercedes em 2022. Quando, no fim de 2020, Hamilton precisou ser substituído pelo compatriota George Russell após contrair a covid-19, os rumores aumentaram sobre a formação de uma dupla britânica no cockpit da escuderia.

Aparentemente, o que mais gera incômodo em Bottas é a opção de eleger um piloto número 1 dentro da equipe, apesar do discurso ser sempre de equidade e imparcialidade no desenvolvimento do trabalho dos dois pilotos.

continua após publicidade

"Dentro do time, ainda que muitos não admitam, talvez de forma inconsciente, eles elejam em número 1 e um número 2. Às vezes os membros do time precisam se perguntar: 'Estamos dando o mesmo tratamento a Lewis e Valtteri?'", questiona o finlandês, que reforça a intenção de chegar mais perto do título mundial: "Se o seu companheiro vence e você é segundo, você sente que perdeu. Eu sei que tem sido recorrente, mas eu quero provar que não sou apenas um segundo piloto", finalizou.

A temporada 2021 da Fórmula 1 começa no dia 28 de março, com o GP do Bahrein, em Sakhir. Está prevista a realização de 23 corridas ao longo deste ano.