Esportes

De olho nos Jogos de Tóquio, Del Potro terá que operar o joelho pela quarta vez

Da Redação ·

Em sua saga por uma plena recuperação para poder voltar a jogar no circuito profissional, o tenista argentino Juan Martin del Potro anunciou que vai passar por mais uma cirurgia no joelho direito, a quarta, nesta semana e espera se recuperar a tempo para disputar os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, adiados em um ano por causa da pandemia do novo coronavírus, que começarão no dia 23 de julho.

continua após publicidade

O ex-número 3 do mundo e campeão do US Open em 2009 - atualmente está na 173.ª colocação do ranking da ATP -, que ainda não se recuperou totalmente de uma série de lesões no joelho direito, informou nas redes sociais que está em Chicago, nos Estados Unidos, e que passaria por uma nova cirurgia no joelho nesta terça-feira.

"Tentamos um tratamento conservador, mas a dor ainda está lá", disse Del Potro em uma postagem no seu Instagram. "O médico sabe que eu quero jogar tênis de novo e que quero poder jogar nas Olimpíadas, então concordamos que a cirurgia deve ser feita assim que possível".

continua após publicidade

Del Potro, que conquistou a medalha de bronze nos Jogos de Londres, em 2012, e a prata no Rio de Janeiro, quatro anos depois, passou por três operações no joelho desde que quebrou a rótula no Masters 1000 de Xangai, em 2018. Sua última cirurgia foi em agosto de 2020.

O argentino, de 32 anos, que já disse anteriormente que pretende encerrar a sua carreira quando sentir vontade, e não por causa de sua saúde, competiu pela última vez em meados de 2019. Ele também afirmou que as coisas ficaram mais difíceis após a morte de seu pai, Daniel Horacio del Potro, em janeiro deste ano e que sentia um impulso para voltar às quadras.

"Eu sinto a força que ele me manda de cima. Eu tive um dia em que acordei e liguei para o médico. Eu sabia que precisava tentar novamente", afirmou Del Potro. "Eu espero que possa superar essa situação dolorosa. Não vou parar de tentar".

Esta será a oitava cirurgia na carreira do tenista argentino, já que ele também fez uma operação no punho direito em 2010 e outras três no punho esquerdo.