Esportes

De olho na Holanda, seleção feminina de futebol volta aos treinos em Tóquio

Da Redação ·

Pouco tempo de descanso e muito trabalho pela frente. Após a goleada por 5 a 0 sobre a China na estreia dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, na última quarta-feira, a seleção brasileira feminina de futebol já se prepara para o próximo desafio contra a Holanda, neste sábado. No treino desta quinta, as titulares da primeira partida fizeram atividades regenerativas para amenizar o desgaste físico. Já as reservas desenvolveram um trabalho de 4 contra 4 no campo reduzido, que aprimora a posse de bola e a compactação defensiva.

continua após publicidade

A atacante Andressa Alves, que sofreu e converteu um pênalti após ser acionada pela técnica sueca Pia Sundhage no segundo tempo, avaliou o desempenho do Brasil no último jogo e projetou a próxima partida. "Por ser estreia, há sempre aquele nervosismo. Acredito que contra a Holanda estaremos ainda mais preparadas. A comissão técnica já está estudando o que fizemos de bom e ruim contra a China. De um jogo para o outro, mesmo se você fizer a partida perfeita, sempre tem algo para melhorar", disse.

Atuando na Roma, Andressa Alves conhece bem o estilo de jogo europeu. Ela acendeu o alerta para os destaques individuais e os pontos fortes das próximas adversárias.

continua após publicidade

"O futebol europeu geralmente é bem forte fisicamente. Já joguei com a Lieke (Martens), é uma jogadora diferenciada, habilidosa, que tem um chute muito potente quando corta para dentro, como o Philippe Coutinho, por exemplo. E a Miedema, dentro da área, é matadora. Acredito que as duas fazem a diferença no time da Holanda, que tem um conjunto muito forte. Precisamos ter atenção com elas, mas temos uma defesa muito boa para pará-las", projetou.

A lateral Tamires também detalhou a preparação do Brasil. "A gente conhece mais o estilo de jogo da Holanda. Elas têm bastante velocidade, exploram bastante as beiradas. Nesta sexta, teremos nossa reunião para definir plano de jogo, ver o que a Pia vai passar de estratégia. Será um bom teste para nós, que temos treinado bastante essa linha defensiva e viemos aprimorando a compactação. Na última vez que as enfrentamos, tivemos boas chances de gol. Nosso trabalho vem evoluindo também e espero que a gente possa executar bem esse plano de jogo que a Pia gosta", disse Tamires, lembrando o confronto no Torneio Internacional da França. Na ocasião, Brasil e Holanda empataram sem gols.

As vice-campeãs mundiais também estrearam em Tóquio com goleada, aplicando 10 a 3 sobre a Zâmbia. Para Tamires, a velocidade característica do ataque brasileiro pode ser um trunfo contra as holandesas.

continua após publicidade

"No nosso último jogo contra elas, vimos que elas não têm uma linha defensiva tão rápida quanto a ofensiva, então temos que estar sempre ligadas e tentar usar desse ponto forte que temos, que é a velocidade tanto das alas quanto das duas atacantes. Foi mérito da Zâmbia ter feito esses três gols. E espero que, a partir dessa reunião com a comissão técnica, a gente possa saber os pontos certos e como explorá-los da melhor forma para chegar ao gol", projetou.

O Brasil faz mais um treino nesta sexta-feira, no Sendai Stadium, antes do duelo contra a Holanda. A seleção volta ao campo do Miyagi Stadium, palco da estreia, neste sábado, às 8 horas (de Brasília).