Esportes

Corinthians atropela a Ferroviária e conquista o bi do Paulistão Feminino

Da Redação ·

Três anos de forte investimento, com sete finais e cinco conquistas. O Corinthians vem colhendo os frutos do projeto com a equipe de futebol feminino. As meninas vêm fazendo bonito nos gramados brasileiros e até fora do país. Neste domingo, com um show de bola, o time alvinegro goleou a boa equipe da Ferroviária, por 5 a 0, e se sagrou bicampeã do Campeonato Paulista.

continua após publicidade

Foi uma apresentação de gala do Corinthians em Araraquara. Mesmo com a possibilidade de derrota por até um gol de diferença para erguer a taça do estadual pelo segundo ano seguido, após 3 a 1 na ida, em São Paulo, a equipe mostrou que não sabe jogar para se defender.

Partiram ao ataque desde o apito inicial para erguer a segunda taça em menos de um mês. Elas já haviam conquistado o Brasileirão diante do Avaí Kindermann.

continua após publicidade

Nas últimas três temporadas, o Corinthians disputou todas as finais do Paulistão e do Brasileirão. Ganhou o Estadual em 2019 e neste domingo, o Nacional em 2018 e há poucos dias. Foi batido nos pênaltis pela Ferroviária em 2019, ano no qual deu o troco na decisão da Libertadores.

O domingo festivo começou antes mesmo de a bola rolar. As meninas do Corinthians entraram com o respectivo nome na camisa e o de outra mulher a quem queriam homenagear no #elasjogandoporelas.

As comandadas de Arthur Elias iniciaram o jogo com fome de gols. Em apenas dois minutos, três boas chegadas ao ataque. Era um bombardeio da melhor equipe do futebol feminino do Brasil na atualidade.

continua após publicidade

Mesmo debaixo de sol escaldante e forte calor, foi uma partida de alta intensidade. A volúpia apresentada se transformou em vantagem no placar com poucos minutos. Crivelari, em sua segunda chance na decisão, fez 1 a 0 aos 12 minutos. Aos 20, Érika ampliou a vantagem na disputa do título para 5 a 1 no agregado. O título já estava mais do que encaminhado.

Após uma pausa para reidratação, Tamires ampliou. Eram abraços e muita festa corintiana diante de uma Ferroviária aguerrida, mas sem poder de reação. Diany, convocada para a seleção brasileira, deixou sua marca aos 39. Adriana e Andressinha ainda acertaram a trave na primeira etapa.

Foi um primeiro tempo primoroso das atletas corintianas. Uma aula de como marcar sob pressão, com belas tramas, concentração e bastante ofensividade.

Com o título praticamente selado, o Corinthians fez seis mudanças na segunda etapa. Mesmo assim, ainda seguiu mostrando força e criando oportunidades de gol. A Ferroviária lutava pelo gol de honra que não veio. A experiente Grazi, de 39 anos, fechou o placar num histórico domingo corintiano.