Esportes

Casares confirma convite a Raí para permanecer até fevereiro no São Paulo

Da Redação ·

O presidente eleito do São Paulo, Julio Casares, confirmou nesta quinta-feira o convite feito ao ex-meia Raí para continuar no cargo de diretor executivo de futebol até fevereiro de 2021. Uma reunião na próxima sexta-feira vai definir a situação. Raí tem contrato com o clube somente até dezembro, quando termina o mandato do atual presidente do clube, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco.

continua após publicidade

"Como a notícia saiu durante a transmissão (da TV Globo), eu quero reafirmar a vocês que no começo da semana sentei na minha casa com Raí e fiz o convite para que ele continue como diretor executivo até o final do Campeonato Brasileiro", disse Casares em vídeo publicado nas redes sociais. É provável que Raí aceite o convite para permanecer no cargo. O dirigente está na função desde dezembro de 2017.

Casares foi eleito para o cargo no último sábado e aos poucos começa a definir como vai compor a nova diretoria a partir de janeiro, data do início da nova gestão. É certo que o ex-treinador Muricy Ramalho vai trabalhar na função de coordenador de futebol. Após fechar a permanência de Raí, o futuro presidente do clube pretende avançar na reestruturação e anunciar os novos nomes que vão compor a diretoria.

continua após publicidade

A permanência de Raí é uma forma também de o São Paulo não passar por grandes mudanças bruscas nesta reta final de Campeonato Brasileiro. A equipe lidera a competição com sete pontos de vantagem sobre o segundo colocado, o Atlético-MG. Além disso, o time do Morumbi disputa nas próximas semana as semifinais da Copa do Brasil diante do Grêmio.

Casares também anunciou no mesmo vídeo que iniciou na quarta-feira um plano para reduzir custos do São Paulo. Nesse governo de transição de Leco para o futuro presidente, nenhum departamento poderá exceder os gastos. Uma reunião de dirigentes no Morumbi na última quarta-feira definiu as diretrizes desse trabalho.

"Implantamos o comitê de transição, e dentre as decisões mais importantes decidimos suspender qualquer tipo de pagamento até a nossa posse, não autorizar nenhum tipo de obra, por mais simples que seja, para iniciar esse período. Estamos fazendo um raio x para uma redução drástica nas despesas", explicou Casares.