Esportes

Bahia vence o Operário, quebra jejum e encosta no Cruzeiro na Série B

(via Agência Estado) ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

Após um mês, o Bahia voltou a vencer fora de casa, desta vez jogando em Ponta Grossa, no Estádio Germano Kruger, ao superar o Operário, por 1 a 0, na noite deste sábado pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. O gol marcado por Lucas Mugni aos 35 minutos do segundo tempo, manteve os baianos na vice-liderança da competição.

continua após publicidade

O Bahia chegou à sua oitava vitória e manteve o segundo lugar, com 25 pontos, três a menos do que o Cruzeiro (28), que domingo à tarde vai enfrentar o Vasco, no Maracanã. Já o Operário, oscilando na competição, sofreu a sua quinta derrota e caiu uma posição, ocupando agora a sétima colocação, com 15 pontos.

Em primeiro tempo pouco inspirado pelas duas equipes, Operário e Bahia pouco fizeram para abrir o placar. O Fantasma trocava passes para tentar progredir, porém, pouco efetivo. O único lance de maior perigo foi com Ricardinho, aos 26 minutos, em um chute de fora da área, para a defesa em dois tempos de Danilo Fernandes. Por sua vez, o time baiano buscava a jogada pelo meio, mas não chegava com qualidade ao campo adversário. A alternativa foi optar pelas jogadas pelos lados do campo, por onde surgiram as melhores chances do time baiano.

continua após publicidade

Primeiro com Djalma Silva, visitando o ex-time foi bastante vaiado pela torcida do Operário durante a partida, o lateral subiu ao ataque, cortou para o meio e chutou forte, para boa defesa de Vanderlei com os pés aos 33 minutos. Logo depois foi a vez de Rildo, aos 36, quando o atacante puxou da ponta para o meio e arriscou de fora da área, para outra intervenção de Vanderlei.No rebote, quase Rodallega marcou, permanecendo o empate até a ida para o intervalo.

Na volta para o segundo tempo, os times até estavam mais inspirados. Aos 10 minutos, o Bahia partiu para o ataque, Rodallega recebeu lançamento, tocou para Rildo, já dentro da área, e o atacante praticamente livre de marcação, teve tempo de dominar, mas na hora de finalizar mandou por cima do gol. O Operário respondeu pouco depois, com Silvinho, aos 20 minutos, após receber passe de Fernando Neto. O atacante mandou uma bomba para o gol para grande defesa de Danilo Fernandes.

Na metade da segunda etapa, o ritmo voltou cair, os times rondavam a área adversária, mas não finalizavam a gol. Querendo colocar gás no jogo, Claudinei Oliveira gastou suas últimas substituições e, pouco tempo depois, viu o zagueiro Alemão sentir uma lesão, deixando o Operário com um a menos. Com superioridade numérica, foi a chance que o Bahia precisava para marcar.

continua após publicidade

Aos 35 minutos, Lucas Mugni, pegou uma bola mal tirada pela defesa do Operário, e em um chute cruzado, abriu o marcador para o Bahia. A bola ainda desviou no caminho matando o goleiro Vanderlei. Com um a mais em campo e no placar, os baianos ficaram trocando passes, controlando a partida até o apito final.

Na próxima rodada, o Operário visita o Vila Nova, na quinta-feira, enquanto o Bahia abre a rodada na terça-feira, contra o Chapecoense, na Arena Fonte Nova.

FICHA TÉCNICA

continua após publicidade

OPERÁRIO 0 X 1 BAHIA

OPERÁRIO - Vanderlei; Thales (Giovani Pavani), Fagner Alemão e Reniê; Arnaldo (Lucas Mendes), Ricardinho, Fernando Neto(Tomas Bastos), Rafael Chorão (Felipe Saraiva) e Fabiano; Silvinho e Paulo Sérgio (Junior Brandão). Técnico: Claudinei Oliveira.

continua após publicidade

BAHIA - Danilo Fernandes; Douglas Borel, Ignácio, Luís Otávio e Djalma Silva; Emerson Santos, Lucas Mugni (Lucas Falcão) e Daniel (Gregory); Raí Nascimento (Davó), Rodallega (Luiz Henrique) e Rildo (Vitor Jacaré). Técnico: Guto Ferreira.

GOL - Lucas Mugni, aos 35 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Caio Max Augusto Vieira (RN).

CARTÕES AMARELOS - Djalma Silva e Luiz Henrique (Bahia).

RENDA - R$49.007,50.

PÚBLICO -3.417 total.

LOCAL - Estádio Germano Kruger, Ponta Grossa (PR).