Esportes

Autor de ameaças a Cássio presta depoimento e pede perdão: 'Sei dos meus erros'

Da Redação ·

Identificado como autor de ameaças feitas ao goleiro Cássio, do Corinthians, um homem de 20 anos se apresentou à Delegacia de Polícia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva, em São Paulo, nesta segunda-feira, e prestou depoimento. O suspeito, cujo primeiro nome é Igor, falou com a imprensa, se disse arrependido e pediu desculpas ao ídolo corintiano.

continua após publicidade

"Não tive nenhuma intenção de prejudicar ninguém. Não represento perigo para ninguém. Eu queria só pedir perdão para ele e toda a família dele", disse em entrevista veiculada no programa Brasil Urgente, da TV Band. "Tentei entrar em contato com o próprio Cássio, mas não consegui. Sei dos meus erros, estou aqui para pedir perdão, me redimir e fazer o que for preciso para mudar de vida", completou.

Na última quinta-feira, Igor utilizou um perfil no Instagram, nomeado "$heik caçador", para mandar mensagens de áudio ao personal trainer de Janara Sackl, mulher de Cássio. Em meio a ofensas direcionadas a Janara, ele chama Cássio de "vagabundo" e diz: "Matar eu não sei, mas vamos achar e esculachar".

continua após publicidade

O jovem chegou a enviar ao personal uma foto de uma arma colocada sobre uma camisa do Corinthians. Quando questionado sobre a imagem, afirmou que a encontrou na internet. Ele também negou conhecer os autores de outras ameaças feitas contra jogadores corintianos e disse não ser filiado a nenhuma torcida organizada.

"Não planejei com ninguém, não faço parte de torcida organizada nenhuma, não falei em nome de ninguém. Foi uma atitude isolada minha", disse. "Eu esperava, de começo, ser notado, porque a gente vive de Corinthians e às vezes a gente não tem voz para nosso protesto chegar aos jogadores, a gente depende das torcidas organizadas, e como eu falei, eu não faço parte de nenhuma delas", completou.

De acordo com a reportagem da Band, o homem já cumpriu pena por receptação e foi flagrado uma vez portando uma arma, mas, até o episódio das ameaças, não possuía mais problemas com a Justiça. Ao conversar com a imprensa, ele disse que não consegue um emprego justamente em razão das passagens pela polícia.

Igor responderá por ameaça e ficará proibido de frequentar estádios. Caso sejam apresentadas provas de ligações entre ele e os outros três homens responsáveis por ameaças a jogadores corintianos, a Polícia Civil pode abrir um novo processo por associação criminosa. Gil, Jô, Paulinho, Willian, Fábio Santos e o presidente do Corinthians, Duílio Monteiro Alves, foram outros alvos das intimidações.