Aos 45 anos, Anderson Silva encara jamaicano em despedida do UFC - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

Esportes

Aos 45 anos, Anderson Silva encara jamaicano em despedida do UFC

Escrito por Da Redação
Publicado em Editado em
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

Anderson Silva promete fazer neste sábado a sua despedida do octógono - pelo menos do Ultimate Fighting Championship (UFC). O duelo desta noite, contra o jamaicano Uriah Hall, marca o seu retorno e também a sua última luta pela organização comandada pelo empresário americano Dana White. Aos 45 anos, o brasileiro é considerado ícone do esporte ao somar vitórias inesquecíveis e quebrar recordes na maior organização de MMA do mundo.

Anderson Silva é uma lenda. Entre os seus maiores feitos está o reinado mais longo de todos os campeões do UFC - ostentou o título da categoria peso-médio por quase sete anos, entre outubro de 2006 e julho 2013. Uriah Hall será, possivelmente, o último adversário do brasileiro, um dos maiores lutadores de todos os tempos - a dúvida foi criada pelo próprio Spider, que durante a semana caminhou em sentido contrário ao da aposentadoria ao dizer que ainda tem "muita lenha" para queimar. O UFC considera a luta como a sua despedida.

O lutador nasceu em São Paulo e foi levado para Curitiba aos 4 anos, quando passou a ser criado pela tia Edith. Naquela época, o futuro campeão era apaixonado por super-heróis. O preferido não é difícil de descobrir: Homem-Aranha, personagem que lhe renderia o apelido que carrega até hoje.

Edith foi responsável por ingressar Anderson no mundo do esporte. Aos 10 anos, ele começou no taekwondo. Aos 18, se tornou faixa preta da modalidade. O seu interesse por lutas marciais cresceu ao longo dos anos, quando ele também se dedicou a treinar jiu-jítsu e muay thai, estilos que o ajudariam no UFC.

Anderson iniciou a vida profissional dentro do MMA aos 22 anos. A estreia do brasileiro pelo UFC aconteceu em junho de 2006, quando enfrentou o americano Chris Leben, até então invicto na organização. Anderson não tomou conhecimento do seu adversário e garantiu a vitória por nocaute com apenas 49 segundos de combate.

Durante os anos em que manteve o cinturão, fez lutas memoráveis, como as contra o falastrão Chael Sonnen. Em 2010, eles se enfrentaram pela primeira vez no UFC 117. Naquele confronto, Spider fez o combate mais dramático da sua carreira ao encarar o "falastrão" que ganhou as manchetes antes mesmo de entrar no octógono. Anderson superou uma costela quebrada (revelação que ele fez após a luta) e sofreu durante os cinco rounds, até surpreendentemente finalizar Sonnen faltando poucos minutos para o fim da luta.

Anderson ainda sofreu duas punições por doping, teve uma vida fora do octógono, com direito até a participações como ator em filmes. Antes de sua última luta, falou que se sente bem fisicamente. "Eu sinto que posso lutar por mais tempo. Da forma que a gente vem trabalhando, reagindo aos treinos e preparação física, acredito que ainda tenha bastante lenha para queimar", despista

Ao falar sobre sua carreira, Anderson Silva ressaltou suas qualidades também fora do mundo das lutas. "Legado não é o que você deixa para as pessoas, é o que você deixa nas pessoas. Eu deixei amor, carinho e persistência, então isso é o que fica para quem acompanha a minha carreira."

Gostou desta matéria? Compartilhe!

Deixe seu comentário sobre: "Aos 45 anos, Anderson Silva encara jamaicano em despedida do UFC"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.